Ciência

Aeronáutica: TAP escolhida para liderar programa europeu

A TAP vai, nos próximos quatro anos, liderar um projeto ligado à manutenção aeronáutica e integrado no Clean Sky 2 (CS2), o maior programa europeu de investigação em aeronáutica.
Versão para impressão
A TAP vai, nos próximos quatro anos, liderar um projeto ligado à manutenção aeronáutica e integrado no Clean Sky 2 (CS2), o maior programa europeu de investigação em aeronáutica inserido no programa de fundos europeus para a investigação e inovação Horizonte 2020. A proposta apresentada pela companhia portuguesa à Comissão Europeia sagrou-se vencedora entre os diferentes consórcios concorrentes. 
Em comunicado enviado ao Boas Notícias, a TAP explica que a sua equipa, liderada por Joel Ferreira e com a colaboração a tempo inteiro de Luís de Oliveira, da Manutenção & Engenharia da companhia, “irá coordenar um consórcio de 12 instituições, entre empresas, universidades e institutos de investigação, e terá de gerir um orçamento de cerca de seis milhões de euros”. 
O projeto conduzido pela transportadora nacional terá dois objetivos fundamentai. O primeiro passa, segundo a TAP, por “desenvolver metodologias de vigilância de manutenção antes da ocorrência de falhas (manutenção preditiva), enquanto o segundo diz respeito à viabilização da introdução, em larga escala, de dispositivos móveis e aplicações inovadoras, de apoio à execução de manutenção, de uma forma integrada entre MROs (organizações de Manutenção), companhias aéreas e fabricantes.
Ao nível do primeiro objetivo, a TAP será responsável pela seleção dos sistemas e componentes críticos a vigiar, para a especificação dos métodos a utilizar, seja recorrendo a dados atualmente gerados pelos sistemas da aeronave ou através da instalação de sensores adicionais, para a estratégia de processamento dos dados em cada caso, na aeronave ou em estações-terra e para a avaliação da viabilidade de cada uma das soluções. 
Quanto ao segundo objetivo, caberá à companhia aérea portuguesa a definição das necessidades reais dos técnicos de manutenção em termos de apoio à decisão em ambiente de hangar e ambiente de linha, no fornecimento de uma visão integrada de uma infraestrutura de manutenção, com vista à identificação de oportunidades resultantes do uso intensivo de dispositivos móveis, nomeadamente para a gestão de configuração das aeronaves e otimização de planeamento de manutenção, e, finalmente, o teste das soluções em ambiente real.
Através da sua integração no CS2, a TAP terá acesso privilegiado a toda a informação gerada dentro da secção do programa em que se encontra – Large Aircraft IADP Platform 3 “Next Generation Aircraft Systems, Cockpit and Avionics” – onde, para além das questões ligadas à manutenção aeronáutica, serão estudados temas como “operações de voo otimizadas”, “desenvolvimento de tecnologias de aviónicos” e “cockpit de próxima geração”.
 A TAP, a TEKEVER e o ISQ são as únicas entidades portuguesas que participam no consórcio vencedor.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close