Ciência

Aerogel: Novo material é mais leve do que o ar

Este aerogel é sintetizado a partir da combinação de nano tubos de carbono e grafeno e pesa apenas 0.16 miligramas por centímetro cúbico, ou seja, mais leve do que o ar.
Versão para impressão
Cientistas de uma universidade chinesa dizem ter produzido o material mais leve de sempre. Este aerogel é sintetizado a partir da combinação de nano tubos de carbono e grafeno e pesa apenas 0.16 miligramas por centímetro cúbico, ou seja, é mais leve do que o ar.
 
De acordo com a informação divulgada pela universidade chinesa de Zhejiang, apesar de ser ultraleve, este aerogel é sólido, ainda que apresentando uma densidade mínima devido ao poros cheios de ar. A pesquisa foi já publicada no prestigiado jornal Advanced Materials.

Para produzir este aerogel de aspeto esponjoso, o investigador Chao Gao secou, através de técnicas de congelamento, nano tubos de carbono e grafeno conseguindo um material ainda mais leve do que o aerogel de grafite criado, em 2012, por cientistas alemães. 
 
Image and video hosting by TinyPic

O novo aerogel pesa apenas 0,16 mg por cm cúbico, ou seja, é mais leve do que o ar que tem uma densidade de cerca de 1,2 mg/cm 3 (7,5 vezes mais pesado do que o novo aerogel grafeno). Com esta leveza, seria de pensar que este aerogel flutuasse mas isso não acontece devido à estrutura das moléculas que é mais complexa do que a do ar.

Novo aerogel absorve 900 vezes o seu peso

Além de tornar este aerogel mais leve do que as anteriores versões, o recurso a técnicas de congelamento facilita o processo de criação do material pelo que torna a sua comercialização mais fácil. 
 

O aerogel é valorizado pela sua durabilidade e pelas suas propriedades de isolamento já que, apesar da sua aparente fragilidade, é extremamente resistente. As possibilidades deste novo tipo de aerogel são infinitas: pode, por exemplo, ser usado para limpar marés negras de petróleo, uma vez que uma vez que pode absorver cerca de 900 vezes o seu peso.

“Esperamos que este aerogel de carbono venha a desempenhar um papel importante no controlo de situações de poluição, como as marés negras ou a até a purificação do ar”, explica o investigador Gao Chao, líder da pesquisa, em comunicado de imprensa

Clique AQUI para aceder ao resumo do estudo de Gao Chao (em inglês)

[Notícia corrigida às 23h40 de 12/04/2013 no terceiro parágrafo]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close