Gastronomia

Açores: Meloa portuguesa certificada pela Europa

A Meloa de Santa Maria, oriunda da ilha açoriana com o mesmo nome, recebeu, na sexta-feira, a classificação de "Indicação Geográfica Protegida" (IGP) atribuída pela Comissão Europeia.
Versão para impressão
A Meloa de Santa Maria, oriunda da ilha açoriana com o mesmo nome, recebeu, na sexta-feira, a classificação de “Indicação Geográfica Protegida” (IGP) atribuída pela Comissão Europeia. Com esta certificação, o fruto português passa a integrar a lista de cerca de 1.200 produtos regionais já protegidos pela Europa. 
 
Num comunicado divulgado pelo Governo dos Açores, o secretário regional da Agricultura e do Ambiente, Luís Neto Viveiros, congratulou-se com este reconhecimento, que considerou “uma mais-valia comercial”, destacando o facto de o selo europeu poder começar a ser utilizado já este ano, na próxima produção.
 
“A classificação da Meloa de Santa Maria como produto de Identificação Geográfica Protegida (IGP), que já tinha sido publicada em Jornal Oficial a 3 de Setembro de 2013 e é agora reconhecida por Bruxelas, é a sétima certificação desta natureza a ser obtida para produtos agroalimentares dos Açores”, recordou o governante.
 
A meloa de Santa Maria, pertencente à espécie 'Cucumis melo L.', do grupo cantalupenses, tem um peso médio de 800 gramas e um diâmetro aproximado de cerca de 13 centímetros, apresentando “uma forma redonda a oval” e uma polpa “geralmente de cor alaranjada e textura macia e sabor doce e sumarento quando madura”. 
 
Trata-se de uma fruta muito aromática, sendo que as suas caraterísticas em termos de aspeto, sabor, textura e aroma “resultam das condições naturais envolventes da ilha de Santa Maria, nomeadamente o solo e o clima, bem como do modo de produção e condução adotado pelos produtores locais”. 
 
Ao nível das propriedades nutricionais, é de destacar o seu elevado teor de vitamina C, significativamente superior ao da meloa comum, bem como a sua riqueza em minerais, em especial o potássio, o magnésio e o cálcio. 
 
Além da certificação IGP da Meloa de Santa Maria e da Carne dos Açores, são também reconhecidos a nível nacional e comunitário o Queijo de São Jorge, o Ananás dos Açores/São Miguel, o Maracujá de São Miguel/Açores, o Mel dos Açores e o Queijo do Pico como produtos de Denominação de Origem Protegida (DOP).
 
A Indicação Geográfica Protegida (IGP) é uma certificação oficial regulamentada pela Comissão Europeia e atribuída a produtos gastronómicos ou agrícolas tradicionalmente produzidos numa região, garantindo, portanto, que a sua produção respeitou as caraterísticas, qualidade e saber fazer que os tornou reconhecidos. 

Notícia sugerida por António Augusto

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close