Ciência

A mulher mais inovadora da Europa é portuguesa

Susana Sargento, investigadora da Universidade de Aveiro (UA), venceu o Prémio Mulheres Inovadoras da União Europeia 2016. A portuguesa recebeu 100 mil euros pelo seu projeto de "Internet em Movimento" que transforma carros em 'hotspots'.
Versão para impressão
Susana Sargento, investigadora do Instituto de Telecomunicações (IT) da Universidade de Aveiro (UA), venceu o Prémio Mulheres Inovadoras da União Europeia 2016. A portuguesa recebeu, em Março, 100 mil euros pelo seu projeto de “Internet em Movimento” que transforma carros em 'hotspots'.
 
A terceira edição do prestigiado prémio da UE contava com nove finalistas mas foi Susana Sargento, co-fundadora da startup Veniam (que desenvolve tecnologia wireless para veículos) que conquistou o primeiro lugar e o prémio máximo de 100 mil euros.

A finlandesa Sirpa Jalkanen, co-fundadora da empresa BioTie Therapies, foi a segunda premiada, com um prémio de 50 mil euros. A empresa BioTie foi responsável pela descoberta de novos alvos nas terapias do cancro.

O terceiro prémio, no valor de 30 mil euros, foi para Sarah Bourke, da Irlanda, co-fundadora da Skytek, empresa que desenvolve software para a Estação Espacial Internacional e que já foi distinguida pela NASA.
 
O concurso é aberto a mulheres fundadoras ou co-fundadoras de empresas e de alguma forma relacionadas com os programas de financiamento da Comissão Europeia. Ao distinguir estes exemplos, a Comissão Europeia procura também inspirar outras mulheres europeias.

Susana Sargento: Um percurso em movimento
 

Susana Sargento, docente no DETI e investigadora no IT, é responsável pelo grupo de investigação Arquiteturas e Protocolos de Redes. Doutorada em Engenharia Electrotécnica pela UA em 2003, Susana Sargento passou pela Universidade de Rice (EUA) em 2000 e 2001, foi docente no Departamento de Ciências de Computadores na Universidade do Porto, entre 2002 e 2004, e foi professora convidada na Universidade de Carnegie Mellon (EUA) em 2008 e 2009.
 
Em Março de 2012, a portuguesa co-fundou a empresa Veniam, uma start-up tecnológica portuguesa que, em 2014, conquistou um investimento de 4,9 milhões de dólares (cerca de 3,9 milhões de euros) por parte de um consórcio liderado pela empresa norte-americana de capital de risco True Ventures. 

A Veniam tem neste momento 36 trabalhadores, e tem escritórios em Silicon Valley, Singapura e Portugal. 
 
A co-liderança da primeira 'internet em movimento' de larga escala a nível mundial foi chave para o sucesso da Veniam, pois permite iniciar uma revolução no futuro das redes de comunicação.
 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close