Negócios e Empreendorismo

150ME para apoiar empresas de turismo até 2015

"Está disponível, desde segunda-feira, uma nova linha de apoio ao turismo criada pelo Governo no valor de 150 milhões de euros.
Versão para impressão
Está disponível, desde segunda-feira, uma nova linha de apoio ao turismo criada pelo Governo no valor de 150 milhões de euros. Esta ajuda às empresas do sector turístico será válida até 2015 e vai permitir “criar condições para alargar os prazos de reembolso dos empréstimos das pequenas e médias empresas contraídos junto da banca”.
 
A linha de apoio foi apresentada e formalizada a semana passada, no Porto, pelo Ministro da Economia, António Pires de Lima, que justificou a sua criação com o facto de o turismo ser “um dos mais dinâmicos e competitivos sectores da nossa economia, que tem tido um comportamento notável nos últimos meses e que tem contribuído decisivamente para o equilíbrio da nossa balança de pagamentos”.
 
Esta Linha de Apoio à Consolidação Financeira, como foi denominada, está disponível nas redes dos oito bancos aderentes (BPI, BES, Banco Internacional do Funchal, Santander Totta, Crédito Agrícola, Caixa Geral de Depósitos, Montepio Geral e Millenium BCP) e vem juntar-se a outros instrumentos já criados para o efeito.
 
Aquando da apresentação do novo apoio, António Pires de Lima garantiu não esquecer “que 8% do emprego está no turismo” e parabenizou o Porto, eleito recentemente pela Lonely Planet como o melhor destino europeu de 2013, por ter “reiventado a sua oferta turística na última década”. 
 
“Esta cidade é o pano de fundo ideal para formalizar esta linha de 150 milhões de euros, que vai apoiar as empresas do sector do turismo de todo o país”, considerou o Ministro, que realçou que, este ano, “Portugal bateu vários recordes de receitas turísticas”.
 
Entre estes recordes estão o maior montante de sempre para o mês de Julho, o maior montante de sempre para o acumulado dos primeiros sete meses, o maior excedente entre receitas e despesas no mês de Julho e também o maior excedente entre receitas e despesas para o acumulado, lê-se num comunicado do Governo de Portugal.
 
Segundo Pires de Lima, estes números “são históricos, não só porque representam o melhor resultado de sempre”, mas também porque “acontecem num momento económico particularmente exigente e desafiante”, revelando “a resiliência das empresas portuguesas”, “o mérito dos nossos empresários” e “a fibra de que são feitos”.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close