Em Destaque Saúde

Mais de 150 médicos urologistas de bigode pela Saúde do Homem

APU e Janssen fazem iniciativa conjunta
Versão para impressão
por redação

Mais de 150 médicas e médicos urologistas de praticamente todos os hospitais de Portugal vão deixar crescer o bigode ou usar um pin com um bigode durante o mês de novembro. Esta iniciativa tem o objetivo de alertar para as doenças do homem, como o cancro da próstata, mas também o cancro do testículo ou do pénis, as várias disfunções sexuais masculinas e as depressões. A iniciativa é da Associação Portuguesa de Urologia (APU) e conta com o apoio da Janssen Portugal, companhia farmacêutica do grupo Johnson & Johnson, e da Esfera das Ideias, editora e produtora de conteúdos.

Conscientes da importância das campanhas de sensibilização e da prevenção primária da saúde, os médicos urologistas vão deixar crescer o bigode e/ou usar um pin em formato de bigode, desta forma abrindo a participação também às mulheres. O objetivo é chamar a atenção para estas problemáticas, contribuindo também para desmistificar algumas patologias e para incrementar o diagnóstico precoce das doenças que afetam o homem.

Para assinalar esta iniciativa serão lançadas duas cadernetas, junto de um público muito alargado, nomeadamente todos os urologistas ativos e reformados, diretores executivos dos Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES) e coordenadores das Unidades de Saúde Familiar (USF), diretores clínicos de todos os hospitais, sociedades e associações médicas, Ministério da Saúde, DGS, ARS e Ordem dos Médicos. A primeira caderneta terá as fotografias dos médicos urologistas que se comprometeram aderir à campanha, sendo que em dezembro será lançada uma nova caderneta com as fotografias de todos os que participaram, com e sem bigode.

“Temos consciência da enorme importância que as campanhas têm na sensibilização e prevenção primária de saúde e esperamos que esta iniciativa permite aumentar o conhecimento sobre as doenças do foro urológico, tais como o cancro da próstata e testicular, mas também de outras questões, nomeadamente a saúde mental”, refere Arnaldo Figueiredo, coordenador da iniciativa junto dos médicos urologistas.

Segundo o estudo Prostate Cancer: Living, not Just Surviving, o cancro da próstata é o segundo tipo de cancro mais frequentemente diagnosticado nos homens, e o segundo mais comum a nível global. Até 90% destes cancros são detetados num estádio precoce quando o tumor ainda se encontra numa fase inicial, sendo diagnosticados todos os anos mais de 6.500 casos de cancro da próstata e morrem 1.500 homens.

 

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close