Ambiente

Zoo de Gaia vê nascer cria de espécie de veado ameaçada

Na passada sexta-feira, no Zoo de Santo Inácio, em Vila Nova de Gaia, nasceu uma cria de veado das Filipinas (Cervus alfredi), uma espécie considerada ameaçada. O sexo e peso do recém-nascido são ainda desconhecidos, por ser "muito cedo" para interfe
Versão para impressão
Na passada sexta-feira, no Zoo de Santo Inácio, em Vila Nova de Gaia, nasceu uma cria de veado das Filipinas (Cervus alfredi), uma espécie considerada ameaçada. O sexo e peso do recém-nascido são ainda desconhecidos, por ser “muito cedo” para interferir na sua relação com a progenitora.
 
A tendência desta espécie é de os indivíduos se tornarem independentes com seis meses, atingindo a sua maturidade sexual com ao fim de um ano de idade, altura em que começam a nascer as hastes dos machos.
 
Com uma esperança média de vida de 15 anos, o veado das Filipinas apresenta um porte pequeno e pernas curtas, distinguindo-se facilmente dos restantes veados pelo padrão de manchas ovais de cor bege que apresenta, dispersas pelo dorso, e de tom castanho-escuro nas zonas laterais.
 
O ventre apresenta um tom creme e, no queixo, lábio inferior e interior das orelhas, o pelo é branco. Face e pescoço são também de um tom castanho-escuro. O veado das filipinas é, essencialmente, uma espécie noturna, tem um peso médio que varia entre os 40 e os 60 quilogramas, alimenta-se de diferentes tipos de erva rasteira, folhas e rebentos e, em adulto, apresenta hastes irregulares e com cerca de 20 centímetros de altura.
 
Proveniente das ilhas Negras e Panay, nas Filipinas, estima-se que existam apenas cerca de 2.500 indivíduos desta espécie, protegida por lei naquele país, em estado selvagem. A exportação madeireira, a caça e a agricultura foram as atividades que começaram a pôr em causa a sua existência, levando a União Internacional da Conservação da Natureza (UICN) a considerá-la espécie ameaçada.
 
Com o nascimento da nova cria, o Zoo de Santo Inácio conta agora com três exemplares do veado das Filipinas, sendo que, o “casal que habita em Santo Inácio é único em Portugal e encontra-se inserido num importante Programa Europeu de Reprodução em Cativeiro de Espécies Ameaçadas, coordenado pela EAZA (Associação Europeia de Zoos e Aquários)”, avança o parque, em comunicado.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub