Cultura

Zeca Afonso recordado em Portugal e Espanha

Esta quinta-feira terão passado 25 anos sobre a morte de José Afonso, cantor que usou a música e a poesia como armas políticas. Zeca, como era carinhosamente conhecido, marcou várias gerações, que esta semana o recordam um pouco por todo o país.
Versão para impressão

Esta quinta-feira terão passado 25 anos sobre a morte de José Afonso, cantor que usou a música e a poesia como armas políticas. Zeca, como era carinhosamente conhecido, marcou várias gerações, que esta semana o recordam um pouco por todo o país e, até, em Barcelona, Espanha.

Academia de Coimbra com homenagem a Zeca

A semana de celebrações tem início em Coimbra, cidade onde José Afonso estudou e iniciou a sua atividade musical e política. A Associação Académica de Coimbra lançou, dia 20, a semana “Zeca Afonso – O rosto da Utopia”, durante a qual estará patente uma exposição discográfica do autor.

O programa inclui ainda uma tertúlia, esta quinta-feira, dia 23, no café Santa Cruz, às 21h30, que conta com o músico e sobrinho de Zeca Afonso, João Afonso, e atuações da Tuna e do Orfeão Académico da Universidade de Coimbra.

Mas não é só em Coimbra que a memória de Zeca Afonso ainda se encontra viva. Um pouco por todo o país, desde o Algarve ao Minho, vários municípios prestam o seu tributo ao músico de intervenção, que morreu precocemente em 1987, apenas com 57 anos, vítima de uma doença neurodegenerativa progressiva.

Quinta e Sexta-feira com espetáculos de tributo

A grande maioria dos eventos é divulgada e apoiada pela AJA – Associação José Afonso, formada em torno da “memória e do exemplo” do cantor português.

Quinta-feira é o dia principal das comemorações e será marcado, em Lisboa, por um espetáculo na Academia de Santo Amaro, às 21h, a cargo do encenador Hélder Costa (d'A Barraca). Em palco estarão nomes como Francisco Fanhais, Zeca Medeiros, Francisco Naia, Pedro Branco ou Couple Coffee.

Ainda em Lisboa, às 18h, o jornalista e escritor Viriato Teles organiza uma sessão de evocação do nome de Zeca, na Biblioteca-Museu da República e Resistência, na Cidade Universitária.

No mesmo dia, a cidade onde o músico faleceu, Setúbal, vai dar lugar, no La Bohème, à leitura de poemas de José Afonso, por António Galrinho e Rui Lino, a ter início às 22h.

A norte, o grupo Canto D'Aqui e a declamação de Camilo Silva e Maria Torcato fazem parte da programação do Theatro Circo, em Braga. A homenagem que se repete já há alguns anos, é desta vez prestada em dois dias, quinta e sexta, não só a Zeca Afonso mas também a Adriano Correia de Oliveira, outro importante nome da música de intervenção que desapareceu há 30 anos. Ambos os espetáculos têm início às 21h30.

As cidades de Aveiro, Lagos, Lisboa, Coimbra, Setúbal e Grândola vão, ainda no dia 23 de fevereiro, estar unidas num programa especial da TSF, transmitido a partir das 9h30, e que pode ser assistido em direto pelos habitantes dos municípios.

Na sexta-feira é a vez de Luís Pires, Pedro Branco e Vítor Sarmento atuarem no restaurante O Bispo, Seixal, à hora do jantar. Também no Barreiro, o restaurante O Pial vai receber as canções tocadas pela associação “Grupo dos Amigos do Barreiro Velho”.

Barcelona com concertos de homenagem

A memória de Zeca chega também a Espanha, país com uma já larga tradição de tributos ao cantautor.

O espaço L'Auditori, na cidade catalã de Barcelona, vai receber, no dia 25 de Fevereiro e no dia 3 de Março, dois concertos que evocam o músico português. O primeiro é organizado pelo grupo de portugueses Drumming e o segundo pelo projeto “20 canções para Zeca Afonso”.

A página da AJA, onde constam informações sobre as várias atividades que têm lugar esta semana, pode ser consultada AQUI.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório