Negócios e Empreendorismo

Vinho verde: exportações cresceram 28% em 2010

NULL
Versão para impressão

As exportações de vinho verde em 2010 cresceram 28 por cento face ao ano anterior, o que gerou uma receita total de 36,8 milhões de euros, de acordo com a Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV), que está a desenvolver uma série de ações promocionais no estrangeiro. O mercado externo representa já 20 por cento das vendas.

"Cerca de 40 por cento das exportações de vinhos portugueses DOC são da região dos vinhos verdes", disse à Agência Lusa um responsável da Direção de Marketing da CVRVV.

Bruno Almeida afirma haver "perspetivas animadoras" para este ano e dá com o exemplo a recetividade das ações promocionais realizadas na semana passada em Zurique, na Suíça, e Berlim, na Alemanha.

A CVRVV salienta que tais ações abriram "novas oportunidades para os produtores de vinho verde" e os representantes de 61 marcas presentes em Zurique obtiveram "novas encomendas".

A Suíça foi o sétimo destino de exportação de vinhos verdes em 2010, "com um resultado de 1,7 milhões de euros". Face ao ano anterior, as vendas neste país subiram 31 por cento, informou também Bruno Almeida.

Na Alemanha, segundo maior mercado consumidor deste vinho, os resultados de 2010 foram ainda melhores: as vendas totalizaram 6,7 milhões, o que corresponde a "mais 21 por cento" relativamente a 2009.

"As perspetivas de curto e médio prazo são, de facto, muito satisfatórias", sublinha o representante, salientando "as características únicas do vinho verde, fresco, jovem e com baixo teor alcoólico, muito apreciadas pelos consumidores suíços e alemães".

Vinho verde presente em 79 mercados

O mercado externo representa hoje "mais ou menos 20 por cento das vendas totais de vinho verde", informa, por seu lado, Bruno Almeida.

Os Estados Unidos são o país que mais vinho verde importa e a CVRVV prevê a "continuação de um crescimento muito acelerado" neste importante mercado, onde "nos últimos dez anos as vendas de vinho verde cresceram 300 por cento".

Com o "mercado nacional está estagnado há cerca de dois anos", os produtores de vinho verde viram-se cada vez mais para o exterior. "É o mercado externo que está a compensar a estagnação que se verifica em Portugal", reforça Bruno Almeida.

A CVRVV tem mais de 30 mil produtores, entre os quais se destacam a Adega de Monção, líder na produção e comercialização do vinho Alvarinho, uma das castas portuguesas com maior notoriedade internacional, muito embora represente "uma pequena percentagem" da produção de vinhos verdes.

O vinho verde está "presente em 79 mercados". Para consolidar a estratégia de promoção durante este ano, "a CVRVV vai investir o valor mais alto de sempre em ações promocionais: cinco milhões de euros, a maioria das quais nos mercados externos".

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub