Sociedade

Vila do Conde vai ter serviço de partilha de bicicletas

Vila do Conde vai passar a ter, a partir do próximo dia 5 de Junho, um sistema de bicicletas de uso público. O serviço "BiConde" dará a habitantes e turistas a possibilidade de circular na cidade de forma ecológica e económica.
Versão para impressão
Vila do Conde vai passar a ter, a partir do próximo dia 5 de Junho, um sistema de bicicletas de uso público. O serviço “BiConde” dará a habitantes e turistas a possibilidade de circular na cidade de forma ecológica e económica.
 
O anúncio foi feito pela presidente da Câmara local, Elisa Ferraz, que revelou à Lusa que, com este serviço, o município pretende oferecer “uma alternativa válida ou complementar de deslocação aos tradicionais meios de transporte”.
 
“Temos uma cidade plana, com imensas zonas pedonais, que acompanham belezas do nosso concelho”, afirmou a autarca, acrescentando que, por intermédio destes “equipamentos não poluentes” as pessoas vão poder “visitar os vários espaços da cidade”, poupando, ao mesmo tempo, o ambiente e a carteira. 
 
O projeto “BiConde” insere-se num conjunto de políticas públicas de planeamento e desenvolvimento sustentável, nas quais se inclui a promoção de ciclovias e a constituição de percursos de circulação de bicicletas. 
 
Além de trazer “ganhos na saúde pública” graças à prática de exercício físico e à diminuição de gases poluentes e ruído, este serviço público de bicicletas deverá também libertar espaço na cidade para outras funções e melhorar a mobilidade dentro do município, considera Elisa Ferraz. 
 
No total, Vila do Conde vai passar a dispor de 60 bicicletas, espalhadas por nove parques, que estarão fixadas em pontos turísticos estratégicos, entre os quais a praça José Régio, a Zona Ribeirinha, o Parque de Jogos, junto ao Castelo S. João Batista, a Praia do Turismo, junto ao Mercado das Caxinas, a Estação de Metro de Vila do Conde e o Parque da Cidade – João Paulo II. 
 
Para beneficiar do serviço, os cidadãos terão de adquirir um cartão de utilização ocasional, que tem um custo de dois euros por hora, ou um cartão de utilização frequente (anual e renovável) que terá um custo de emissão de cinco euros, aos quais acrescem outro cinco para a realização de um seguro. 
 
Para os utentes frequentes, o tempo de utilização permitido será de duas horas, com a primeira hora gratuita e a segunda com um custo de 0,50 euros por cada 15 minutos adicionais.
 
Segundo a presidente da Câmara, o serviço será gerido pela Polícia Municipal e Serviços de Trânsito e cada bicicleta terá um 'chip' de localização. “Os espaços e lojas onde estarão à venda os cartões de utilização vão acionar e explicar todos os mecanismos do serviço”, desvendou Elisa Ferraz.
 
O serviço “BiConde” vai ser inaugurado a 5 de junho para assinalar o Dia Mundial do Ambiente, que se celebra naquela data. O regulamento do serviço está, por aviso publicado no Diário da República de sexta-feira, em processo de discussão pública.

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub