Cultura

UNESCO convida cidade portuguesa para património mundial

A UNESCO convidou o município de Vila Real de Santo António, no Algarve, a candidatar o núcleo pombalino do seu centro histórico e a vila de Cacela Velha à Lista Indicativa do Património Mundial.
Versão para impressão
Em reconhecimento do seu trabalho de requalificação urbana, a UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura convidou o município de Vila Real de Santo António, no Algarve, a candidatar o núcleo pombalino do seu centro histórico e a vila de Cacela Velha à Lista Indicativa do Património Mundial.
 
Em comunicado ao Boas Notícias, a autarquia de Vila Real de Santo António explica que a candidatura tem em consideração o facto de o seu núcleo histórico constituir, na atualidade, um dos melhores exemplos da arquitetura e do urbanismo do século XVIII – uma cidade fábrica, fundada de raiz nos ideais iluministas – cuja importância está identificada e preservada no Plano de Pormenor de Salvaguarda do Núcleo Pombalino do município. 
 
Projetada para ser a cidade ideal do Iluminismo, Vila Real de Santo António, tal como a Baixa Pombalina, em Lisboa, “teve por base o conceito de racionalização geométrica, tendo todas as dimensões e formas do seu traçado ortogonal sido definidas proporcionalmente, desde a métrica das ruas aos quarteirões, lotes, edificações e vãos de portas e tipos de edifícios”.
 
De traçado regular conforme os princípios racionais e geométricos, a Vila Pombalina é, pois, a perfeita articulação entre a arquitetura e o urbanismo, constituindo a “cidade ideal”, diante dos princípios formais das urbes do “Século das Luzes”.
 
A candidatura de Cacela Velha, por seu lado, relaciona-se com a “singularidade e o grau de preservação do seu núcleo histórico”, “a riqueza e antiguidade dos achados arqueológicos”, “a sua localização e enquadramento paisagístico”, bem como “a existência de um projeto consolidado de investigação histórica e arqueológica com mais de 15 anos”. 


“Singularidade” e “riqueza” de Cacela Velha estão entre os motivos da candidatura a Património Mundial © CM Vila Real de Santo António
 

“Estas duas candidaturas dão ainda mais força à estratégia desenvolvida, nos últimos 10 anos, ao nível da conservação do património, facto que levou a que Vila Real de Santo António fosse a primeira cidade do país a ver aprovada uma Área de Reabilitação Urbana, tenha criado um um Plano de Pormenor de Salvaguarda do Núcleo Pombalino e posto em marcha o maior plano de requalificação do seu Centro Histórico, avaliado em 1,5 milhões de euros”, afirma Luís Gomes, autarca da cidade.
 
Segundo o presidente da câmara de Vila Real de Santo António, “quer a paisagem urbana [do seu núcleo pombalino], quer a paisagem histórica e natural de Cacelha Velha, na sua configuração atual, apresentam um elevado nível de autenticidade e de investigação, correspondendo aos critérios definidos pela UNESCO no que se refere à Convenção para a Proteção do Património Mundial”.  
 
Nas próximas semanas, o município de Vila Real de Santo António vai definir os membros da comissão científica que irá acompanhar a candidatura, reunindo associações, entidades públicas e privadas, moradores e comerciantes “num processo que pretende consolidar a autenticidade e originalidade do concelho, ampliando o seu estatuto como destino turístico e patrimonial de excelência”.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório