Sociedade

Três portuguesas ajudam órfãos da SIDA

Três portuguesas fundaram, este mês, uma nova associação para ajudar crianças moçambicanas que ficaram órfãs por causa da SIDA. A associação "Eu e os meus irmãos" surgiu na sequência de uma grande Reportagem da SIC sobre a realidade do HIV em Moçambi
Versão para impressão
Três portuguesas fundaram, este mês, uma nova associação para ajudar crianças moçambicanas que ficaram órfãs por causa da SIDA. A associação “Eu e os meus irmãos” surgiu na sequência de uma grande Reportagem da SIC sobre a realidade do HIV em Moçambique.

O destino de Carolina Alves, Isabel Bento e Raquel Marques ainda não se tinha cruzado quando a Grande Reportagem da SIC, “Eu e os Meus Irmãos”, passou na televisão, em Outubro do ano passado.

Com assinatura de Cândida Pinto e imagem de Jorge Pelicano, o documentário retrata o dia-a-dia das crianças que vivem no distrito de Inhambane, a 440 quilómetros de Maputo, onde são obrigados a sobreviver sozinhos, sem a ajuda dos pais vítimas mortais do HIV. Segundo a reportagem, em Moçambique, a SIDA já deixou mais de 600 mil crianças órfãs.

Depois de assistirem ao documentário, as três portuguesas decidiram pôr mãos à obra. Individualmente, e ignorando a existência uma das outras, entraram em contacto com a jornalista coordenadora da Grande Reportagem da SIC. E foi Cândida Pinto que proporcionou o encontro entre as três, nos estúdios da SIC.

No entanto, antes desse encontro, Carolina, Isabel e Raquel já tinham comunicado através de email graças ao contacto que tinham feito com Olga Macupulane, da ONG maçabicana MAHLAHLE.

Em pouco tempo, decidiram fundar uma associação sem fins lucrativos que ficou com o mesmo nome da reportagem: “Eu e os Meus Irmãos”. Apesar de ter sede em Carcavelos, Lisboa, a associação tem um parceiro que funciona como ponte até às crianças de Inhambane.

“Trabalhamos com uma ONG local, a MAHLAHLE (que em dialecto xitsua significa “alvorecer” ou “estrela da manhã”) e que trabalha naquela região desde 1997. Esta ONG dá apoio a cerca de 4 mil órfãos, tem muita experiência e conhece as necessidade locais, o que para nós e uma grande mais valia”, explica Carolina Alves ao Boas Notícias.

Autonomia financeira e emocional

O objetivo da recém criada associação é apoiar as crianças reforçando a sua “autonomia emocional e financeira”. “A nossa associação quer dar apoio a estas crianças, algumas delas seropositivas, apostando em quatro linhas de ação principais”, salienta Carolina Alves.

Uma das formas de apoio é o apadrinhamento à distância, um processo através do qual, qualquer pessoa interessada pode apadrinhar uma das crianças contribuindo mensalmente com 30 euros para ajudar na educação, alimentação, e outras necessidades. O apadrinhamento passa também pelo contato com as crianças, uma situação que será facilitada pela associação e que permite reforçar o apoio emocional dos jovens.

Outro projeto da associação passa pela construção de um centro de formação na área da carpintaria e da costura, com um custo de 15 mil euros, que tem o objectivo de fornecer competências profissionais aos jovens.

Por outro lado, apostando na autonomia financeira, a associação quer construir em Inhambane dois pavilhões: um para criação de galinhas poedeiras e outro para galinhas de abate. Também o custo deste projecto está avaliado em 15 mil euros.

Por fim, outra prioridade é a construção de um furo de água que garantirá o acesso da população a água potável para consumo pessoal. A construção deste poço tem um custo previsto de 10 mil euros.

Todos os projetos serão atribuídos a empreiteiros locais para fomentar a economia local, sublinha Carolina, acrescentando que, apesar de ter apenas duas semanas de existência, a jovem associação já conseguiu angariar “algumas madrinhas e padrinhos”.

“Eu e os Meus Irmãos” tem uma página no Facebook e está já a preparar o seu blog que estará activo na próxima semana. É possível contactar a associação através por email ou através do facebook. O NIB para envio de donativos deve ser feito para a conta da CGD 00505420001014173071.

A reportagem de Cândida Pinto e José Pelicano ganhou este fim de semana o prémio de melhor imagem no Festival Internacional de Grandes Reportagens e Documentários (FIGRA), que decorreu em Le Touquet, França.

A Grande Reportagem vai passar novamente na Sic Notícias, esta sexta-feira, nos seguintes horários: 09h,14:30, 21:30 e 03:30. Poderá também ser vista sábado, às 06:30.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório