Negócios e Empreendorismo

Têxteis: Exportações lusas para a China a aumentar

A exportação de tecidos portugueses para a China está a aumentar "70% a 80% ao ano", segundo informações avançadas por uma responsável do setor.
Versão para impressão
A exportação de tecidos portugueses para a China está a aumentar “70% a 80% ao ano”, segundo informações avançadas por uma responsável do setor, o que se explica graças ao “enorme crescimento” das marcas chinesas que procuram diferenciar-se pelo design.
 
Em declarações à agência Lusa, a diretora da Seletiva Moda, o organismo da Associação de Têxteis e Vestuário de Portugal encarregue de promover o país nas feiras internacionais, justificou este interesse. “A confeção na China é mais barata, mas a nossa matéria-prima e o que nós temos para oferecer – design, moda, inovação, qualidade e serviço – é um valor acrescentado”, enfatizou Sofia Botelho.
 
Dada a procura existente por parte do mercado chinês, cinco empresas têxteis portuguesas estiveram presentes na última edição da “Intertextile Pequim 2012”, um dos mais concorridos eventos do setor na Ásia que, pela primeira vez, contou com um pavilhão inteiramente dedicado a Portugal.
 
A Arco Têxteis, a Riopele, a Lemar, a Somelos e a Troficolar foram as marcas nacionais representadas na feira de Pequim cujo balanço foi, de acordo com Sofia Botelho, “muito positivo”, tendo contado com “clientes de toda a China e até alguns estrangeiros”. 
 
“É um mercado de grande consumo e que tem tido um enorme crescimento de marcas locais que procuram a diferenciação pela qualidade e a inovação”, disse a diretora, indicando o aumento considerável do valor da exportação de tecidos portugueses para aquele país nos últimos dois anos.
 
A participação na “Intertextile Pequim 2012” foi financiada por fundos comunitários e é uma das 68 ações internacionais organizadas este ano pela Seletiva Moda, de Tóquio a Nova Iorque.

A feira na capital chinesa ocorreu num momento positivo para as exportações portuguesas para a China, que aumentaram, globalmente, 54,11% em 2011 para 1,16 mil milhões de dólares (883 milhões de euros).

[Notícia sugerida por Maria Manuela Mendes]

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório