Inovação e Tecnologia

Tecnologia portuguesa acelera diagnóstico do cancro

O projeto português Blue Stain venceu, esta semana, o prémio Arrisca C com a apresentação de uma tecnologia que permite um diagnóstico rápido do cancro, sem que seja necessário o processamento de amostras em laboratório.
Versão para impressão
O projeto português Blue Stain venceu, esta semana, o prémio Arrisca C com a apresentação de uma tecnologia que permite um diagnóstico rápido do cancro, sem que seja necessário o processamento de amostras em laboratório.

A tecnologia apresentada permite obter, de forma rápida, uma coloração citológica (análise das células), eliminando a necessidade de processar estas imagens por um laboratório.

Este diagnóstico é feito através de imagens registadas digitalmente, permitindo uma observação imediata, explicam os responsáveis do projeto num comunicado enviado ao Boas Notícias.

Ideia valeu 22 mil euros

A ideia, da autoria de Fernando Ferreira, Paula Alves, Eduarda Novais e Hugo Prazeres, valeu um prémio de 22.500 euros, juntamente com uma consultoria especializada em diversas áreas de negócio, formação e serviços de incubação de empresas.

Para além da Blue Stain, houve outros concorrentes premiados, como por exemplo o projeto do primeiro dispositivo de fixação externa que permite a estabilização, alongamento e transporte ósseo, desenvolvido pela BMHtec; bem como a ideia do StillHere, um dispositivo que, recorrendo ao wireless, emite um alerta quando o bebé é deixado na viatura.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório