Inovação e Tecnologia

Tecnologia ‘made in Bragança’ revoluciona radiodifusão

Um português desenvolveu um dispositivo que promete revolucionar o modo como se resolvem, remotamente, os problemas de radiodifusão. Pensada em parceira com o Instituto Politécnico de Bragança, a inovadora tecnologia reduz os custos e as falhas de em
Versão para impressão
Um português desenvolveu um dispositivo que promete revolucionar o modo como se resolvem, remotamente, os problemas de radiodifusão. Pensada em parceira com o Instituto Politécnico de Bragança, a inovadora tecnologia reduz os custos e as falhas de emissão das rádios.
 
Depois de percorrer mais de dois milhões de quilómetros o equivalente a 50 voltas ao Mundo – a tratar de antenas, Rui Paulo Pereira quis arranjar uma solução para o tempo que despendia para, muitas vezes, carregar apenas num botão e devolver a emissão às rádios. 
 
O resultado foi a 'Alarm Box', o dispositivo 'made in Bragança' que o técnico de emissores de radiodifusão visa internacionalizar, arrancando com a sua comercialização no prazo de um ano. Depois de feitas demonstrações a “quase todas as rádios nacionais” e uma empresa espanhola do setor”, a reação “é de alguma surpresa” quando são informados de que o equipamento é 'made in Portugal/Bragança'.
 
Por isso mesmo, Rui Paulo Pereira acredita que o 'Alarm Box' tem potencial para conquistar o mercado além-fronteiras, com aquela que foi também a primeira patente alguma vez desenvolvida no Gabinete de Empreendedorismo do instituto transmontano. “Há milhares de rádios espalhadas por todo o mundo, mas a minha maior expectativa é em relação aos mercados do Brasil, Espanha e França”, revela o técnico radiofónico.
 
O segredo da tecnologia lusa é que, segundo Rui Paulo, a mesma consiste num aparelho que “faz tudo, enquanto que os outros fazem uma coisa cada um”. Para que funcione, basta colocá-lo no centro emissor que comunica com o técnico através de uma aplicação Android desenvolvida para o efeito, que permite resolver falhas através de um simples SMS. 
 
Esta última foi criada por uma equipa de informática e eletromecânica do Instituto Politécnico de Bragança, constituída por Pedro Rodrigues, Gertúlio Igrejas e David Branco, que lhe quiseram incutir um cunho pessoal na parte da componente da inteligência artificial.
 
A investigação teve sempre como objetivo dar resposta “às necessidades de solucionar remotamente os problemas”. Como tal, uma das inovações que o equipamento apresenta é o facto de conseguir “fazer a análise do áudio e averiguar se está a funcionar erraticamente, ou seja, se há ou não ruído”. 
 
Rui Paulo diz-se consciente de que, com esta invenção, “pode estar a reduzir emprego” entre técnicos como ele, mas que, por outro lado, “também está a criar emprego” nas empresas que venham a produzir o equipamento.
 
Ainda assim o técnico lembra que a 'Alarm Box' vem reduzir os custos das empresa de radiodifusão e  facilitar, sobretudo, a vida aos profissionais que vão continuar a ser necessários para a manutenção dos centros emissores.
 
Antes, o profissional com 24 anos de carreira na área da radiodifusão lembra que chegou a ter de ir de Bragança ao Algarve “para, em apenas uns minutos, fazer 'reset'num botão”, um exemplo de como o novo dispositivo compensa. “Poupa não ter que ir lá e as estações emissoras não ficarem sem emissão”, conclui.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub