Ambiente

Tartarugas repovoam as ilhas Galápagos

Um grupo de 39 tartarugas gigantes foi libertado na ilha de Pinta, no arquipélago equatoriano das Galápagos. A missão é repovoar e restabelecer a integridade ecológica das ilhas Galápagos cuja fauna e flora sofreram um desgaste devido à introdução de
Versão para impressão
[Foto: EFE]

Um grupo de 39 tartarugas gigantes foi libertado na ilha de Pinta, no arquipélago equatoriano das Galápagos. A missão é repovoar e restabelecer a integridade ecológica das ilhas Galápagos cuja fauna e flora sofreram um desgaste devido à introdução de espécies não endémicas como as cabras.

Em 2003 as cabras na ilha chegaram a ser consideradas uma praga, com mais de 40 mil exemplares da espécie que devastaram o frágil ecossistema das Galápagos. O processo de erradicação das cabras terá sido feito de forma gradual num período que durou sete anos e inicia agora a segunda etapa com a introdução das tartarugas.

“Erradicámos as cabras e a vegetação recuperou imenso, agora as tartarugas irão fazer o resto”, garantiu à agência EFE a investigadora do centro de Conservação das Galápagos, Linda Cayot.
 
A operação de integração das 39 tartarugas assume assim um papel importante. O único espécime resistente na ilha é a tartaruga “Jorge, o Solitário, resgatado há 38 anos e desde então foi entregue aos cuidados de um centro de investigação da ilha de Santa Cruz.

Nessa mesma ilha é onde se encontra o centro de reprodução do Parque Nacional das Galápagos (PNG) responsável pela reintrodução das tartarugas híbridas que repovoarão a zona de Pinta e nas quais recaem as esperanças para equilibrar o ecossistema da ilha.

“Com a libertação destas tartarugas, que é o primeiro grupo de outras que virão, prevemos recuperar os processos ecológicos que estavam alterados na sua ausência”, esclareceu Washington Tapia da PNG.

Os transportadores que tiveram de carregar as tartarugas ficaram de quarentena para garantir que não contaminavam os novos espécimes. As tartarugas trazem ainda dispositivos de localização para que possam ser seguidas via satélite enquanto circulam na ilha que serviu de inspiração para Charles Darwin e a sua teoria sobre a Origem das Espécies.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório