Mundo

Sucateiro fica milionário ao descobrir peça rara

Nos EUA, um sucateiro ficou milionário ao descobrir que a peça de arte que tinha em casa era um ovo Fabergé com um valor estimado de 24 milhões de euros. O homem comprou a peça por cerca de 9 mil euros com intuito de a vender a alguém que a derretess
Versão para impressão
Nos EUA, um sucateiro ficou milionário ao descobrir que a peça de arte que tinha em casa era um ovo do famoso joalheiro Carl Fabergé com um valor estimado de 24 milhões de euros. O homem tinha comprado a peça de ouro por cerca de 9 mil euros com intuito de a vender a alguém que a derretesse.

Durante anos, os potenciais compradores recusaram a sua oferta e só agora, através de uma pesquisa na internet, é que o sucateiro descobriu o verdadeiro valor da peça feita de ouro, safiras e diamantes.
 

“É como se o Indiana Jones tivesse encontrado a Arca Perdida”, conta Kieran McCarthy, o especialista da joalharia londrina Jewellery Wartski, que avaliou o ovo, ao jornal The Telegraph.
 
O homem, que optou por permanecer anónimo, tinha a peça de arte há já muitos anos pousada na sua cozinha. Uma noite, enquanto navegava na internet, descobriu um artigo online sobre os ovos Fabergé e reconheceu a sua peça de arte numa imagem.
 
“Ele voou diretamente para Londres, a sua primeira visita à Europa, para nos ver. Não dormia há dias. Trouxe uma fotografia do seu ovo e eu soube imediatamente o que era”, revela McCarthy que voou para os EUA para analisar a peça de arte.
 

Image and video hosting by TinyPic


“Era uma casa muito moderna no meio do oeste norte-americano, ao pé de uma autoestrada e de uma loja de donuts. E lá estava o ovo, ao lado de alguns bolos, no balcão da cozinha”, descreve o especialista.

“Eu examinei o ovo e disse: 'você tem um Fabergé Imperial Ovo da Páscoa'”. Ele quase desmaiou. Literalmente caiu no chão de espanto”, conta McCarthy.

A joalharia comprou então o ovo, com cerca de 8,2 cm de altura, em nome de um colecionador de peças Fabergé. 

Ovo foi desenhado no séc. XVII para o Czar
 

Desenhado por Carl Fabergé para o Czar Alexandre III, para oferecer à esposa pela Páscoa em 1887, o ovo foi apreendido pelos Bolcheviques que o venderam em 1922.
 
Em 2011, investigadores da Fabergé descobriram uma imagem do ovo num catálogo de 1864 da casa de leilões nova-iorquina Parke Bernet e entenderam-no como uma prova de que a peça sobreviveu até meados do século XX.
 
O ovo acabou por ir parar a um mercado de velharias onde foi comprado pelo sucateiro, agora milionário. “Isto deve dar esperança a todos os entusiastas de antiguidades. Há ainda grandes tesouros a encontrar”, conclui McCarthy.
 
O atual proprietário vai emprestar o ovo à joalharia Warski para exibição pública entre 14 a 17 de Abril na sede da empresa.

Clique AQUI para aceder ao site da joalharia e ver mais fotos desta valiosa peça.

Notícia sugerida por André Luís e Maria Manuela Mendes

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub