Em Destaque Sociedade

SPEAK: a missão de conectar migrantes, refugiados e pessoas locais nas cidades onde vivem

O SPEAK está a abrir a possibilidade de empreendedores e entidades locais fundarem o SPEAK na sua própria cidade.
Versão para impressão

 

O SPEAK, um projeto português de inovação social de referência a nível internacional (já com presença em Itália, Alemanha e Espanha), lança agora novo modelo para escalar o seu impacto.

O SPEAK tem a missão de conectar migrantes, refugiados e pessoas locais nas cidades onde vivem. Para levar a cabo a sua missão, o SPEAK implementa experiências de intercâmbio de línguas e culturas onde os participantes podem aprender e explorar interesses comuns, quebrar preconceitos, mal entendidos e promover a compreensão e celebrar novas amizades.

O projeto tem-se destacado em Portugal como solução de integração de migrantes, pela forma como quebra estigmas, pela promoção da igualdade e pela criação de redes de suporte informal entre os participantes. Recebeu o Selo Europeu para as Línguas atribuído pela Comissão Europeia, e em 2015 venceu vários prémios, destacando-se como o melhor projeto social português em fase de crescimento no Social Innovation World Forum e uma das melhores 10 inovações sociais pela Fundação António Manuel da Mota.

Uma das grandes preocupações das organizações com missão social é como conseguir chegar a mais pessoas, aumentando o seu impacto de forma mais rápida e com recursos escassos.

Assim, à semelhança do que já acontece com alguns projetos de empreendedorismo validados no contexto europeu, o SPEAK está agora a abrir a possibilidade de empreendedores e entidades locais fundarem o SPEAK na sua própria cidade. Qualquer pessoa que tenha espírito empreendedor e vontade de mudar o mundo pode candidatar-se.

Este modelo de replicação, pioneiro em Portugal, é muito semelhante ao modelo de franchising social – uma forma estruturada de transferência e replicação do conhecimento e da experiência de casos bem sucedidos em organizações, aplicando os princípios do franchising comercial para promover o bem comum e geral impacto social.

As boas notícias são que já existem pessoas e organizações interessadas em levar o SPEAK para as suas cidades. A Valéria Meneses – que veio do México para Portugal e fazia parte do SPEAK em Leiria, onde foi Buddy de Espanhol, mudou-se para Aveiro e decidiu ser a primeira empreendedora a levar o SPEAK para a sua cidade.

“O SPEAK mudou a minha vida, permitindo que me adaptasse ao meu novo país, fizesse amigos e aprendesse a língua portuguesa. Eu quero que outras pessoas possam ter a mesmo oportunidade que eu tive. Quero trazer a possibilidade de sucesso a todos os imigrantes, que precisam de todos os recursos possíveis para se integrarem no seu novo país adotivo. Apesar de pequena, Aveiro é uma cidade multicultural, cosmopolita e com imenso potencial. Eu quero que a população local possa partilhar a sua cidade com cidadãos de outras nacionalidades que vivem aqui e assim ajudar a construir uma comunidade mais forte e tolerante.”, afirmou Valeria Meneses, Fundadora do SPEAK em Aveiro.

A outra cidade que já conta com o SPEAK fundado através deste modelo é Amarante, onde a Câmara Municipal -que se tem destacado por trazer diversas inovações ao Município –  apoiou a Associação Casa da Juventude a lançar e dinamizar o projeto.

Poderá ver mais informação aqui.

 

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub