Inovação e Tecnologia

Sistema português melhora eficiência das empresas

Uma empresa portuguesa lança quinta-feira um programa informático que permitirá aos gestores dirigir e saber o que se passa na sua companhia em qualquer ponto do mundo.
Versão para impressão

Uma empresa portuguesa lança quinta-feira um programa informático que permitirá aos gestores dirigir e saber o que se passa na sua companhia em qualquer ponto do mundo.

A Elo – Sistemas de Informação (ELO SI), uma empresa de engenharia de sistemas, afirma que a nova tecnologia foi desenvolvida nos últimos dois anos por quatro dos seus engenheiros informáticos e permite “reduzir índices de ineficiência, aumentar a produtividade e garantir níveis de segurança nas empresas”.

De acordo com a agência Lusa, a empresa está atualmente a negociar a sua comercialização internacional.

Em comunicado, a Elo diz tratar-se de “uma aplicação 100 por cento ‘web based’, o que permite que, a qualquer hora e em qualquer lugar, os líderes de uma empresa saibam o que se está a passar do outro lado do mundo, com a sua própria empresa”.

Gerir horários, verificar níveis de autorização de acesso a obras e informações ou confirmar níveis de segurança são outras das aplicabilidades do sistema.

“Através de uma identificação biométrica, é possível perceber se determinado colaborador tem, ou não, autorização para entrar numa obra, independentemente do país onde estiver localizada a empreitada”, explica Alcides Cruz, cofundador e gestor da ELO SI, citado no mesmo documento.

“O nosso sistema pode estar alojado num país e funcionar noutro”, refere o responsável.

Para além destas funcionalidades, a plataforma tecnológica permite “gerir o tempo que um colaborador passa a desempenhar uma determinada tarefa”, o que na opinião de Alcides Cruz é uma “funcionalidade fundamental na eliminação de ineficiências, produzindo ganhos de produtividade nas empresas”.

Funcionalidades cobiçadas por empresas nacionais e estrangeiras

Segundo o comunicado, são já várias as empresas, nacionais e estrangeiras, que adotaram um “sistema de informação tipo ELO SI”, tais como o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, a Guarda Nacional Republicana, a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, o Banco de Portugal, a CP, a Metro do Porto, a STCP, a Pescanova, a Portucel, a Sonae, a Rádio Popular, e o IPO do Porto.

“Trata-se de um sistema com capacidade de cálculo, no qual podem ser introduzidas diversas variáveis na gestão diária dos colaboradores, que são lidos automaticamente pelo software. Os resultados possibilitam adotar medidas de gestão, simplificando processos e com ganhos ao nível da produtividade das empresas”, explica o comunicado.

A ELO – Sistemas de Informação é uma empresa 100 por cento portuguesa, criada em 1994, que conta com 25 colaboradores e com sede no Porto.

A empresa dispõe de duas unidades de negócios: uma em Lisboa e outra em Vigo, Espanha, sendo este o “primeiro país para o qual começou a exportar as suas soluções, em 2008”, seguindo-se depois países como a Angola, Moçambique, Cabo Verde e Dubai.

[Notícia sugerida por Diana Rodrigues, Vítor Fernandes e Patrícia Guedes]

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório