Sociedade

Sinistralidade: Mortes na estada voltam a diminuir

Os acidentes rodoviários contabilizaram este ano 277 vítimas mortais, menos um quinto do que em igual período de 2012, indicou esta terça-feira a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).
Versão para impressão
Os acidentes rodoviários contabilizaram este ano 277 vítimas mortais, menos um quinto do que em igual período de 2012, indicou esta terça-feira a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR). Os jovens alcoolizados continuam a ser as principais vítimas da “guerra das estradas”.
 
Segundo a ANSR, que reúne dados da PSP e GNR, 277 pessoas morreram nas estradas portugueses, entre 1 de Janeiro e 7 de Agosto, menos 72 do que em igual período de 2012, quando já tinham morrido 349.
 
A Segurança Rodoviária adianta que os acidentes rodoviários provocaram um maior número de mortos nos distritos Lisboa, onde se registaram 33 vítimas mortais, Aveiro, 32, e Porto, 31.

Os distritos com menos mortos foram Bragança e Viana do Castelo, com três vítimas mortais em cada um, e Vila Real (quatro).


1.036 feridos graves, menos 214 do que em 2012
 
A ANSR indica também que os feridos graves diminuíram 17 por cento, tendo ficado gravemente feridas, até 07 de Agosto, 1.036 pessoas, menos 214 do que em 2012.
 
Também os feridos ligeiros diminuíram este ano, registando-se uma descida de 4,4 por cento, refere a ANSR, especificando que os acidentes rodoviários provocaram 20.111 feridos ligeiros, contra os 21.052 do mesmo período de 2012.

Jovens alcoolizados são as principais vítimas

De acordo com uma campanha que está a ser divulgada pela ANSR, duas em cada três das vítima mortais da estrada são jovens entre os 18 e os 24 anos.

Um valor que terá a ver com o comportamento de risco que os jovens adotam na estrada, já que a 46% dos mortos das estradas ocorrem ao fim de semana, entre a meia-noite e as 06 da manhã, horário em que se registam mais condutores alcoolizados.

A mesma campanha alerta que a maioria dos jovens morrem ou sofrem ferimentos graves em despistes que resultam da combinação mortal entre álcool, velocidade e fadiga.

Mesmo assim, segundo dados da ANSR, em termos da evolução das vítimas com idades entre os 18 e os 24 anos, registou-se, entre 2001 e 2010 um descida de 74% do número de mortos e uma descida de 66% de feridos graves. 
 
Estas reduções foram superiores às que se observaram entre os restantes utentes, que apresentaram decréscimos na ordem dos 43% mortos e 52% feridos graves.

Notícia sugerida por Elsa Fonseca

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub