Ciência

Simulador da vida na Terra prevenirá epidemias

Uma equipa internacional de cientistas tem vindo a desenvolver o Living Earth Simulator (LES, ou Simulador da Terra Viva), uma ferramenta que permitirá recriar tudo o que acontece no nosso planeta, desde o clima à disseminação de doenças, transações
Versão para impressão
Uma equipa internacional de cientistas tem vindo a desenvolver o Living Earth Simulator (LES, ou Simulador da Terra Viva), uma ferramenta que permitirá recriar tudo o que acontece no nosso planeta, desde o clima à disseminação de doenças, transações financeiras e até o trânsito.

No seu pleno funcionamento, este simulador poderia ajudar a prevenir epidemias, descobrir métodos para combater as mudanças climáticas ou até identificar o surgimento de crises financeiras na sua fase mais incipiente.

“Muitos dos problemas que enfrentamos hoje – instabilidade social e económica, situações de guerra, disseminação de doenças – relacionam-se com o comportamento humano, mas existem lacunas no que toca à compreensão do funcionamento da sociedade e da economia”, refere à BBC Dirk Helbing, do Instituto Federal Suíço de Tecnologia, justificando a vontade de criar o LES.

Segundo Helbing, há um maior conhecimento científico acerca do início do universo do que em relação ao estado atual da Terra. O simulador viria, portanto, esbater esse fosso.

O funcionamento deste novo sistema exige a montagem de supercomputadores, que sejam capazes de efetuar grandes cálculos e monitorizar todos os dados relativos à atividade planetária em todas as áreas. Os equipamentos ainda estão a ser desenvolvidos, mas vários dados estão já a ser gerados.

A equipa de Dick Helbing já identificou mais de 70 fontes de dados online que poderão ser usadas pelo sistema, incluindo a Wikipedia, o Google Maps e bases de dados governamentais.

O próximo passo a dar será a integração dessas informações em modelos que façam uma previsão rigorosa da atividade do nosso planeta. Isso será possível com a maturação da tecnologia web semântica, refere Helbing. O cientistas acredita, porém, que o maior desafio da implementação do LES é outro.

“Tem-se tornado óbvio, nos últimos anos, que necessitamos de indicadores mais eficazes que o Produto Interno Bruto (PIB) para julgar o desenvolvimento social e o bem-estar de uma nação”, declara à BBC.

O desenvolvimento de novos e melhores métodos de medição do estado da sociedade seria também outro dos objetivos fundamentais do LES, para explicar questões de saúde, educação e ambiente. “E por último, mas não menos importante, (as questões) de felicidade”, acrescenta Helbing.

[Notícia sugerida pelo utilizador Hugo Mota]

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub