Sociedade

Régua: Câmara transporta alunos às novas escolas

Com a aquisição de seis novos autocarros, a Câmara da Régua preparou uma frota de 10 viaturas que se destinam ao transporte direto dos alunos do primeiro ciclo do ensino básico das aldeias para os novos centros escolares que entram em funcionamento a
Versão para impressão
Com a aquisição de seis novos autocarros, a Câmara da Régua preparou uma frota de 10 viaturas que se destinam ao transporte direto dos alunos do primeiro ciclo do ensino básico das aldeias para os novos centros escolares que entram em funcionamento a 13 de setembro.

Esta medida surge na sequência do encerramento de 13 escolas primárias no Peso da Régua, conforme previsto na carta educativa elaborada em 2007. As novas escolas, instaladas na Régua e em Godim vão, então, acolher os 800 alunos do primeiro ciclo do ensino básico daquele concelho.

“Esta frota vai dar resposta ao reordenamento da rede escolar. A nossa estratégia foi afetar uma viatura a cada freguesia para fazermos uma ligação directa e menos morosa com os centros escolares”, explicou o vice-presidente da autarquia da Régua, José Manuel Gonçalves, em declarações à agência Lusa.

Ainda assim, a concentração dos alunos na cidade da Régua causou descontentamento em algumas aldeias do concelho, como Poiares, cuja população promoveu um abaixo-assinado contra o encerramento da escola e as deslocações “difíceis” por estradas “íngremes e sinuosas”.

José Manuel Gonçalves espera que alguns ânimos se exaltem no reinício do ano letivo, mas acredita que rapidamente se “vão esbater dúvidas e desconfianças” depois de estar a funcionar a rede de transportes e os centros escolares.

Os novos veículos custaram 900 mil euros à Câmara e a manutenção de toda a frota tem um custo anual estimado em 350 mil euros. Contudo, José Manuel Fernandes revelou à Lusa que é esperada uma comparticipação a 50% do Ministério da Educação.

“A câmara está a aguardar as conclusões das negociações entre a Associação Nacional de Municípios e o Estado para ver qual vai ser a comparticipação. Quando fizemos esta reorganização tomamos como referência um apoio de 50 por cento, valor semelhante ao que neste momento é atribuído aos transportes com os alunos do 2.º e 3.º ciclos”, referiu o autarca.

Recorde-se que a lista das escolas que estarão encerradas já no próximo ano letivo foi divulgada a 19 de agosto pelas Direcções Regionais de Educação. No total, 701 estabelecimentos de ensino fecham as suas portas, de Norte a Sul do país.

[Notícia sugerida pela utilizadora Raquel Baêta]

Comentários

comentários

Etiquetas

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório