Ciência

Química: Portugal ganha 3 medalhas de bronze no Brasil

NULL
Versão para impressão
Portugal conseguiu três medalhas de bronze nas Olimpíadas Ibero-Americanas de Química que terminaram no passado dia 24 de setembro. A competição juntou alunos do secundário de 14 países e decorreu em Teresina, na Universidade Federal do Píaui, no Brasil.

Os premiados portugueses foram preparados pelo Departamento de Química da Universidade de Aveiro (UA), responsável pelos concorrentes portugueses às Olimpíadas Internacionais e às Olimpíadas Ibero-Americanas desde 2002.

Esta foi a primeira vez que uma equipa portuguesa conseguiu o “pleno numa competição internacional”, refere o comunicado da UA, já que todos os participantes conseguiram medalhas. Algo que se torna ainda mais relevante se pensarmos que 2011 é o Ano Internacional da Química

Vasco Figueiredo Batista, Paulo Sérgio Pereira Gonçalves e João Miguel Pimenta Pereira foram acompanhados pelas docentes da UA Maria Clara Magalhães e Diana Pinto. A preparar os estudantes em Portugal estiveram também Amparo Faustino, Graça Marques e Rita Ferreira, todas do Departamento de Química. Do Colégio dos Carvalhos, colaborou também a Prof. Alzira Rebelo.

Portugal destacou-se entre 15 países

A 16ª edição da Olimpíada Ibero-Americana juntou-se à comemoração dos 40 anos da Universidade Federal do Píaui. O coordenador da olimpíada no Piauí e pró-reitor de Planejamento da UFPI, professor Arimateia Lopes relatou que o evento visa o estímulo ao estudo da Química, promovendo assim o estreitamento de laços entre os países participantes.

Segundo o docente, o evento recebeu este ano um número recorde de países, totalizando 15 nações. Além de Portugal participaram a Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Espanha, El Salvador, Guatemala, México, Perú, Uruguai e Venezuela.

O país anfitrião participou em todas as edições e já conquistou 13 medalhas de ouro, 23 medalhas de prata e 20 medalhas de bronze, lê-se no site da UFPI.

Este ano letivo Vasco Figueiredo Batista, um dos medalhados portugueses, vai entrar iniciar a licenciatura em Química na UA, tendo a sua média de entrada sido de 19 valores, conta o comunicado da universidade.

Maria Clara Magalhães e Diana Pinto acreditam que os resultados obtidos pela equipa portuguesa foi “particularmente potenciada pelas muitas horas de estudo e de entrega desta equipa”.

Promovidas pela Sociedade Portuguesa de Química, as Olimpíadas de Química são patrocinadas pelo Ministério da Educação, com o objetivo de dinamizar o estudo e ensino da Química nas Escolas Básicas e Secundárias, proporcionar a aproximação entre as Escolas Básicas e Secundárias e as Universidades e despertar o interesse pela Química, cativando vocações para carreiras científico-tecnológicas entre os estudantes.

[Notícia sugerida por Teresa Teixeira]

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório