Em Destaque Saúde

Proteja-se do frio e não se esqueça dos seus olhos

Sociedade Portuguesa de Oftalmologia deixa conselhos para uma visão saudável no Inverno
Versão para impressão
por redação

O Inverno começa hoje e com a descida das temperaturas a preocupação recai, normalmente, sobre as melhores formas de enfrentar o frio e de manter o corpo e a casa quente. De fora da lista de cuidados costuma ficar a saúde ocular e é para isso que alerta a Sociedade Portuguesa de Oftalmologia (SPO), que chama a atenção para o risco de problemas que podem surgir quando o frio aperta.

Tal como no Verão, também no Inverno há cuidados que devemos ter com a visão para garantir uma boa saúde ocular”, explica Manuel Monteiro Grillo, presidente da SPO. “Nem sempre nos lembramos de ter atenção aos olhos, mas há conselhos simples que podemos e devemos seguir e que previnem o aparecimento de diferentes problemas.”

E são esses os conselhos que a SPO partilha, para garantir uma proteção da saúde ocular:

Evite os ambientes muito secos – Os aquecedores, os aparelhos de ar condicionado ou as lareiras são fontes de calor, ajudando a combater o frio. Mas podem também causar (ou piorar) a situação de olho seco, uma doença em que as lágrimas estão alteradas, causando alterações na qualidade de vida dos indivíduos.

Proteja os olhos dos raios solares – Não é só no verão que é necessário proteger os olhos dos raios UVA e UVB. Também no inverno o uso de óculos de sol é essencial, sempre que haja exposição solar.

Cuide da pele em redor dos olhos – Se quando as temperaturas sobem são necessários cuidados com a pele, quando estas descem a atenção deve manter-se, sobretudo no que diz respeito à pele que se encontra em torno dos olhos. Recomenda-se a utilização de protetores solares de índice elevado, como Fator de Proteção Solar (FPS) 50 ou superior.

Não se esqueça da regra dos 20-20-20 – Durante os meses mais frios, as pessoas têm tendência a passar mais tempo dentro de casa e, por isso, a ficar mais horas em frente ao computador ou aparelhos eletrónicos. Não se esqueça, por isso, da regra dos 20-20-20: faça, a cada 20 minutos, uma pausa de 20 segundos para fixar um objeto a uma distância de 20 pés (cerca de seis metros).

Reduza o risco de “cegueira da neve” – A neve e o gelo têm a capacidade de refletir o sol, o que faz com que os raios solares atinjam os olhos vindos de cima e de baixo (da superfície). Para quem vive em zonas cobertas pela neve ou para quem pretenda visitar estes locais, o uso de óculos de sol com lentes com filtro UV é fundamental, uma vez que estas diminuem a luz refletida e aumentam o contraste dos objetos. Evitam-se, desta forma, queimaduras na córnea e na retina. Atenção que, nestes casos, os óculos de sol usados da praia não são suficientes, já que são desenvolvidos para uso em temperaturas quentes, o que faz com que o seu material muitas vezes não resista ao frio. Se descurar os cuidados com os olhos na neve, a córnea e a conjuntiva – as estruturas mais externas do olho – podem sofrer queimaduras solares e provocar a chamada “cegueira da neve”.

Cuidado com lentes de contacto em altitudes altas – O ar das montanhas é mais seco e provoca alguma intolerância às lentes de contacto. Se utiliza lentes é importante que hidrate os olhos 4-5 vezes por dia com recurso às lágrimas artificiais.

Use uma viseira nos desportos de inverno – Desportos em que haja poeira excessiva no ar podem dificultar a utilização de lentes de contacto. Utilize uma viseira a cobrir os olhos

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub