Cultura

Projeto mostra arquitetura portuguesa a estrangeiros

Um arquiteto sueco radicado em Portugal há 13 anos criou um programa de visitas guiadas destinado a mostrar a profissionais estrangeiros do setor do turismo as obras mais emblemáticas da arquitetura contemporânea nacional.
Versão para impressão
Um arquiteto sueco radicado em Portugal há 13 anos criou um programa de visitas guiadas destinado a mostrar a profissionais estrangeiros do setor do turismo as obras mais emblemáticas da arquitetura contemporânea nacional. O projeto, denominado “Lusitan Architecture Experience”, inclui passagens pelo Porto, Braga, Guimarães, Viana do Castelo e Lisboa.
 
Hans Ola Boman, que vive no nosso país há mais de uma década, começou por conciliar a arquitetura com o acolhimento de grupos organizados por uma agência de viagens sueca, a Style Scandinavia, mas, no início deste ano, decidiu dar uma nova dinâmica ao programa de visitas.
 
Assim se formalizou o conceito da “Lusitan”, alargando-se a sua abrangência linguística e técnica graças à inclusão na equipa de dois colegas de Ola Boman com quem trabalhara, em tempos, no gabinete de Siza Vieira – a búlgara Ina Valkanova e o japonês Ren Ito. 
 
“Este tipo de visitas guiadas são uma prática com muita tradição no estrangeiro em países como a Suécia, por exemplo, onde os gabinetes de arquitetura organizam viagens para os seus colaboradores conhecem 'o último grito' e daí retirarem inspiração para o seu trabalho”, explicou Ola Boman à agência Lusa.
 
De acordo com o arquiteto, o projeto é “uma forma de turismo e uma espécie de atividade de exportação, com grande potencial de crescimento em mercados com esta tradição, mas também em países como a Alemanha, onde o mercado obriga a formação contínua, e a Suíça, onde são as universidades a organizar estas viagens”.
 
Consoante o número de participantes e os seus interesses de pesquisa, as visitas podem prolongar-se de um a três dias e, segundo Ola Boman, o destino mais procurado é a Invicta, com paragem obrigatória na Casa da Música – “que não tem assinatura lusa por ser do holandês Rem Koolhaas, mas é um marco da cidade com muita projeção internacional”, esclarece.
 
A visita recai sempre sobre obras contemporâneas e as edificações mais recentes, como o premiado edifício Vodafone, da autoria de José António Barbosa e Pedro Lopes, e o também distinguido bloco de apartamentos Living Foz, de Paulo Fernandes.
 
Se os clientes o solicitarem, os circuitos incluem podem incluir, ainda assim, além do “passeio” por estes pontos emblemáticos, uma abordagem à arquitetura clássica moderna, como, por exemplo, a de Marques da Silva, com a Estação de São Bento. 
 
De salientar que os programas de visitas estão também disponíveis para o público português.
 
Clique AQUI para saber mais sobre a “Lusitan Architecture Experience”.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório