Negócios e Empreendorismo

Projeto ajuda 12 mulheres a criar empresas no Minho

Em Guimarães, 12 mulheres vão poder criar os seus próprios negócios graças a um novo projeto de empreendedorismo que quer "maximizar as elevadas potencialidades do concelho" e, ao mesmo tempo, aumentar o número de postos de trabalho.
Versão para impressão
Em Guimarães, 12 mulheres vão poder criar os seus próprios negócios graças a um novo projeto de empreendedorismo. O Projeto Leme, como foi batizado, quer “maximizar as elevadas potencialidades do concelho” e, ao mesmo tempo, aumentar o número de postos de trabalho.
 
por Catarina Ferreira
 
Este projeto, promovido pela instituição vimaranense Adivs em parceria com a empresa de consultoria e formação Die Apfel e financiado pelo QREN, POP/CIG, Estado Português e Fundo Social Europeu (FSE), foi amplamente divulgado junto da comunidade vimaranense e recebeu candidaturas de 68 mulheres.
 
Destas, foram selecionadas 15 mulheres, com base no perfil motivacional e empreendedor, que frequentaram um curso de formação que decorreu nas instalações dos Bombeiros Voluntários das Caldas das Taipas e que incidiu sobre as áreas de igualdade de género, gestão, relações interpessoais e liderança e tecnologias de informação e comunicação com vista a dotar as formandas “de competências essenciais à gestão de um negócio”. 
 
Concluída esta fase, a equipa técnica, multidisciplinar, escolheu 12 das 15 mulheres que frequentaram a formação para avançar com os seus projetos, de acordo com “variáveis que permitem predizer o sucesso da atividade empresarial”, revela Benedita Aguiar, diretora da Die Afpel, em declarações ao Boas Notícias.
 
Segundo a responsável, as mulheres escolhidas, que apresentaram os projetos “mais sustentáveis”, vão receber, “além de apoio de consultoria individualizada, um prémio de incentivo ao arranque no valor de 5.030,64€, dado pela  Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, POPH, Qren, FSE e Estado Português”. 
 
Ao Boas Notícias, Benedita Aguiar garante que este prémio é “muito importante, porque permite alavancar a empresa”, e defende que, “visto que esta é uma região muito fustigada pelo desemprego, o Projeto Leme acaba por ser uma boa notícia, porque permitirá criar postos de trabalho e gerar riqueza”.

De acordo com a diretora da Die Apfel, as beneficiárias da iniciativa verão ainda as suas empresas “inseridas e divulgadas numa rede interempresas, ou seja, num portal WEB, que disponibilizará vários serviços”.
 
Entre estes serviços estão uma incubadora online de empresas, a emissão do estacionário da empresa (papel timbrado, envelopes, cartazes, cartões, etc.), um fórum temático, um espaço para divulgação de oportunidades de trabalho, notícias e eventos sobre empreendedorismo, entre outros. 
 
“O projeto constitui, desta forma, uma estratégia concertada de apoio ao empreendedorismo feminino, mediante o incentivo do associativismo e da comunicação virtual, tendo três objetivos-chave: criar o autoemprego; maximizar a capacidade empresarial e potenciar a participação na vida ativa e na esfera pública, por parte das beneficiárias”, conclui Benedita Aguiar. 

Alavanca para a dinamização de vários setores

 

As empresas em desenvolvimento e apoiadas pelo projeto operam em áreas diversas, desde a osteopatia ao catering. Ana Maria Mortágua, de 48 anos, por exemplo, criou a “Ana's Kitchen”, uma empresa nascida na zona de Fafe “que pretende servir desde canapés a menus altamente elaborados, em diferentes contextos: casamentos, copos de água, batizados, coffee-breaks, entre outros eventos”. 
 
Já Carla Rocha, de 34 anos, enveredou por caminho diferente ao criar a “Formiguinha”, com o objetivo de confecionar e comercializar artigos para bebé feitos à mão, que vão de caixas decoradas a álbuns personalizados de fotografias. Outro exemplo é o de Rosa Castro, de 31, que criou a “Osteopatias”, empresa que oferecerá aos clientes terapias para melhoria da saúde e qualidade de vida.
 
Em comunicado, o presidente da Advis, Cláudio Serra, sublinha que “tem havido, em Guimarães, uma forte aposta na dinamização de diferentes setores de atividade económica” e este projeto “irá contribuir para reforçar esse trabalho, pois permitirá alavancar 12 novas empresas geridas por mulheres”.

Elogiando o trabalho desenvolvimento pela Die Apfel, Cláudio Serra antevê “que a participação das promotoras, em concreto no mundo empresarial, será um sucesso”. 

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub