Negócios e Empreendorismo

Produtora portuguesa eleita empresa do ano na Suécia

Uma produtora de Azeitão, em Portugal, foi distinguida com o 'Gyllene Glaset' (Copo de Ouro), um prémio entregue pela Allt om Vim, a mais prestigiada revista de vinhos e gastronomia sueca.
Versão para impressão
Uma produtora de Azeitão, em Portugal, foi distinguida com o 'Gyllene Glaset' (Copo de Ouro), um prémio entregue pela Allt om Vim, a mais prestigiada revista de vinhos e gastronomia sueca. Entre todos os fornecedores de vinhos daquele mercado, a José Maria da Fonseca foi eleita Empresa do Ano pela publicação.

Depois do feito em 1997, esta é a segunda vez que esta produtora portuguesa leva a melhor sobre todos os restantes concorrentes estrangeiros no mercado sueco. Com um universo de mais de 90 mil leitores, a Allt om Vim elegeu a José Maria da Fonseca a melhor empresa fornecedora de vinhos naquele país, graças a vinhos como o Periquita (original, reserva, branco e rosé) e o Moscatel de Setúbal. 
 
O galardão foi entregue no passado dia 6 de Novembro, em Estocolmo, àquela que é também responsável por grande parte das exportações de vinhos portugueses para a Suécia. O evento contou com a presença dos principais intervenientes do setor do vinho no país e quem subiu ao palco para receber o aclamado Copo de Ouro foram, precisamente, os administradores e irmãos António e Domingos Soares Franco. 

Em comunicado enviado ao Boas Notícias, Jan Holmstrom, membro do júri, conta que “assim que o nome da José Maria da Fonseca surgiu, todos nós, membros do júri, concordámos imediatamente”. Dos vários motivos mencionados pelo júri, foram realçados os incansáveis esforços da José Maria da Fonseca em unir a qualidade do produto a um preço concorrencial sem comprometer a identidade e origem do produto. 

Dirigida pela família Soares Franco há já 179 anos, a José Maria da Fonseca assume-se como a mais antiga produtora de vinhos de mesa e moscatéis de Setúbal, tendo contado com uma faturação de 19 milhões de euros em 2012 e valores de exportação a rondar os 75% da produção. Detém mais de 650 hectares de vinhas repartidos pela Península de Setúbal, Alentejo e Douro, que resulta num centro de vinificação com uma capacidade de 6,5 milhões de litros.

Notícia sugerida por Maria Manuela Mendes

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub