Saúde

Processo de fertilização revolucionário já tem luz verde

Já nasceu o primeiro bebé no qual foi aplicada uma nova técnica de sequenciamento de genes para selecionar um embrião viável para a fertilização in vitro (FIV). Este método, desenvolvido em Oxford, garante aumentar o sucesso da FIV.
Versão para impressão
Já nasceu o primeiro bebé no qual foi aplicada uma nova técnica de sequenciamento de genes para selecionar um embrião viável para a fertilização in vitro (FIV). Este método, desenvolvido por cientistas da Universidade de Oxford, garante aumentar o sucesso da FIV.

A equipa de Oxford, em parceria com a Main Line Fertility Clinic in Pennsylvania e com a fertility clinic of New York University, testou o método em dois casais, aplicando apenas um embrião em cada uma das mulheres, o que resultou em gravidezes saudáveis, sendo que um dos bebés já nasceu no mês passado e o outro deverá nascer em breve.

 
De acordo com o comunicado da Universidade de Oxford, através deste método, designado por “sequenciamento de nova geração”, é possível identificar embriões com um número correto de cromossomas, o que permite garantir um maior sucesso do processo de fertilização, bem como reduzir os custos do tratamento.
 
Como explica o Dr. Dagan Wells, líder da equipa de investigação, “muitos dos embriões produzidos durante os tratamentos de infertilidade não têm hipótese de resultar, pois comportam anormalidades genéticas letais.” 

“O sequenciamento da nova-geração facilita a descoberta dessas alterações e ajuda a identificar os embriões com as melhores possibilidades de produzirem uma gravidez viável”, acrescenta.

 
Este processo de sequenciamento da nova-geração, que se baseia no sequenciamento de fragmentos de ADN de uma única célula, tem vindo a revolucionar a investigação genética em várias áreas, no entanto nunca tinha sido aplicada na triagem de embriões. 
 
De acordo com o comunicado, basta sequenciar apenas de cerca de dois por cento do DNA do embrião para determinar o número de cromossomas presentes, no entanto isso não chega para revelar o estado dos genes individuais.
 
Através de um pequeno número de células, este método de sequenciamento, feito por computador, é capaz de identificar doenças genéticas hereditárias, anormalidades cromossomáticas e mutações.
 
Pode consultar mais informações AQUI.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub