Ambiente

Primeiro voo solar à volta do mundo está a chegar ao fim

A última rota do primeiro voo solar à volta do mundo está quase a chegar ao fim, marcando a primeira vez que alguém deu a volta ao globo num avião alimentado apenas a energia solar, com zero emissões. Dia 26 de Julho será histórico para a aviação.
Versão para impressão

A última rota do primeiro voo solar à volta do mundo está quase a chegar ao fim, marcando a primeira vez que alguém deu a volta ao globo num avião alimentado apenas a energia solar, com zero emissões. Dia 26 de Julho será histórico para a aviação.

O Solar Impulse 2 descolou este domingo à noite do Cairo, no Egipto, em direção a Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. A duração prevista do voo, o último de uma série de 17 jornadas, e terá a duração de dois dias e duas noites.

No entanto as condições atmosféricas ainda apresentam desafios: as elevadas temperaturas que se fazem sentir nesta altura do ano no Médio Oriente testam o limite dos critérios de design do SI2. Além disso, mesmo a elevadas altitudes, a interferência térmica e a turbulência obriga os pilotos a permanecerem com a máscara de oxigénio por períodos de tempo mais longos.

Bertrand Piccard, presidente do conselho de administração, um dos fundadores do projeto e atualmente a pilotar o SI2 em direção ao seu destino, considerou a descolagem do Egipto “muito emocional”, uma vez que foi naquele país que, em 1999, concluiu o primeiro voo ininterrupto à volta do mundo, de balão. “Foi precisamente aqui que começou o meu sonho de fazer outra circum-navegação, mas desta vez sem combustível, apenas com energia solar”.

André Borschberg, CEO, co-fundador do projeto e também piloto, acrescenta: “estou muito comovido por ver o Bertrand a descolar para a última jornada deste sonho incrível. Lembra-me a primeira vez que nos encontrámos para discutir esta missão, aparentemente impossível, e da excitação que criou na minha mente”.

O projeto nasceu da parceria entre Bertrand Piccard, médico e explorador, e André Borschberg, engenheiro e empreendedor. Ambos têm alternado a pilotagem do SI2 à volta do mundo.

O avô de Bertrand Piccard foi Auguste Piccard, o homem que inventou a cabine pressurizada para o voo de balão, mas também inventor do batiscafo, um aparelho esférico feito de aço para descer ao fundo do mar.

O seu pai, Jacques Piccard, bateu o recorde do mundo de descida no oceano através do batiscafo, atingindo uma profundidade de 10.916 metros.

A última etapa deste voo solar pode ser seguida em direto, aqui.

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub