Ciência

Portugueses estudam reparação de danos cerebrais

Investigadores de Coimbra descobriram o mecanismo de acção do óxido nítrico na proliferação de células estaminais neuronais, o que representa um progresso importante para a reparação de danos cerebrais.

Versão para impressão
Investigadores de Coimbra descobriram o mecanismo de acção do óxido nítrico na proliferação de células estaminais neuronais, o que representa um progresso importante para a reparação de danos cerebrais.

De acordo com a Lusa, o avanço nasceu de uma investigação desenvolvida no Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC) da Universidade de Coimbra que incidiu sobre o óxido nítrico, substância produzida no cérebro em condições inflamatórias, na sequência de lesão cerebral.

O estudo, publicado recentemente na revista científica “Stem Cells”, analisou a “proliferação de células estaminais neuronais sob a acção do óxido nítrico, clarificando o mecanismo de acção deste potencial alvo terapêutico para medicina regenerativa”, refere o CNC em comunicado.

Inês Araújo, investigadora do CNC que liderou a equipa responsável pelo estudo, disse à Lusa que “o processo de formação de novas células a partir de células estaminais neuronais na sequência de uma lesão cerebral não é particularmente robusto” e que se procuraram “formas de o tornar mais eficiente”.

Estas células têm “potencial para recuperar as zonas que foram lesionadas, deslocando-se para as zonas onde houve degeneração”, adiantou a bióloga, que desenvolve investigação fundamental na área das ciências da saúde.

O estudo foi desenvolvido em colaboração com a Faculdade de Medicina de Coimbra e a Universidade de Lund, na Suécia.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório