Sociedade

Portugueses dos mais procurados para “ter um caso”

Os portugueses são um dos povos mais desejados para casos extraconjugais. Pelo menos são estas as conclusões de uma sondagem feita pelo Ashley Madison, o maior portal de relacionamentos extraconjugais do mundo, que contou com mais de 11 mil respostas
Versão para impressão
Os portugueses são um dos povos mais desejados para casos extraconjugais. Pelo menos são estas as conclusões de uma sondagem feita pelo Ashley Madison, o maior portal de relacionamentos extraconjugais do mundo, que contou com mais de 11 mil respostas.
 
Os resultados deram conta de que 56% das mulheres e 68% dos homens inquiridos tinham interesse em ter relações com portugueses. Perante isto, o criador do portal de encontros 'discretos' entre pessoas casadas decidiu apostar no mercado português. 
 
Atualmente, o site conta já com mais de 20 milhões de aderentes, em países como o Brasil, Espanha, EUA, Alemanha e Reino Unido.

Esta não é a primeira vez que os homens portugueses são destacados como sendo atraentes. Em 2012, a revista Travelers Digest publicou uma lista onde colocava os portugueses entre os homens mais bonitos do mundo.

“Os portugueses tendem a ser cosmpolitas e bem-educados”, dizia a Travelers Digest, que acrescentava que, em Lisboa, os “cavalheiros altos, carismáticos e atléticos poderão causar surpresa com o seu firme conhecimento não só da própria cultura, como da de outras nações”. 

 

De acordo com o comunicado enviado ao Boas Notícias, mesmo antes do lançamento em Portugal, já foram registados mais de 200 mil acessos à página por parte de portugueses a este portal. 
 

Noel Biderman, fundador do Ashley Madison, acredita que esta afluência está “relacionada com o contexto de crise económica que causa insatisfação e mau estar entre os casais e que leva à procura de novos estímulos”. 
 
Frequentemente convidado para participar em 'talkshows' nos Estados Unidos, o empresário acredita que as relações extraconjugais podem mesmo salvar um casamento e explica que o Ashley Madison surge da condição humana de “ter um caso”.
 
A comunidade on-line, criada a pensar sobretudo no universo feminino, conta, atualmente, com um novo utilizador a cada nove segundos. Em 2012, a faturação do site ultrapassou o 100 milhões de euros.

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub