Saúde

Portuguesa que cria osso sintético premiada

Claudia Ranito, fundadora da start-up de biotecnologia Medbone - Medical Devices conquistou o 12º Prémio do Jovem Empreendedor pela criação de ossos sintéticos.
Versão para impressão
Claudia Ranito, fundadora da start-up de biotecnologia Medbone – Medical Devices conquistou o 12º Prémio do Jovem Empreendedor, iniciativa promovida pela Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE) com o apoio do IEFP. A portuguesa de 31 anos ganhou graças ao projeto da sua empresa, que se dedica à produção de substitutos ósseos para cirurgia ortopédica, dentária e veterinária.
 
Em comunicado, a ANJE salienta que “os produtos fabricados por esta inovadora start-up têm propriedades semelhantes às do osso natural, possibilitando melhor qualidade de vida aos pacientes”.

Este facto levou à distinção da criadora da Medbone, cujos substitutos ósseos já chegaram a vários países de todo o mundo, como Espanha, Dinamarca, Polónia, Kuwait, Camboja, Hong Kong, Colômbia, África do Sul e Moçambique.

 
O projeto de Claudia Ranito foi escolhido entre o grupo de seis finalistas, no qual o setor mais representado foi, à semelhança do que aconteceu na última edição do prémio, o da saúde.

Além da Medbone, estava entre a lista final a Cell2B, uma empresa portuguesa da área da biotecnologia que desenvolve técnicas de terapia celular, com o propósito de solucionar os problemas de rejeição de órgãos transplantados. 

 
A propósito da vitória, a empreendedora portuguesa disse ao semanário Expresso que “é importante sentir que o país valoriza e se orgulha de ter uma empresa como a Medbone, que está a conseguir chegar a todos os pontos do mundo”.
 
Do concurso fizeram também parte as novas energias, representadas através da Efisenergy, empresa que criou um inovador sistema de produção de energia elétrica e térmica, bem como os brinquedos educativos, as redes sociais e empresas na área das indústrias criativas. 
 
O Prémio do Jovem Empreendedor, criado em 1998, tem o objetivo de distinguir e valorizar empresas em fase de criação e/ou expansão de negócios.

A vencedora terá agora direito a um prémio monetário no valor de 20.000 euros e terá garantido o acesso a instrumentos de incentivo financeiro e infraestrutural, através de vários programas de apoio, centros de incubação e ninhos de empresas. 

[Notícia sugerida por Patrícia Guedes]

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub