Em Destaque Inovação e Tecnologia

Portugal desenvolve técnica que aumenta produção da cortiça

No final de Dezembro, mês que em se comemorou o 5.º aniversário do sobreiro enquanto Árvore Nacional de Portugal, a Associação Portuguesa da Cortiça (APCOR) revelou que está em curso um projeto de investigação para reduzir os ciclos de produção de sobreiros já em 2017.
Versão para impressão
por redação

Contactado pelo Boas Notícias, o gabinete de comunicação da APCOR confirmou que a sua associada Corticeira Amorim, em conjunto com vários produtores e em parceria com a Universidade de Évora, está a desenvolver técnicas florestais de fertilização e irrigação vão encurtar o prazo da primeira extração de cortiça dos habituais 25 anos para oito a dez. O novo método já está a ser testado, com sucesso, por alguns produtores.

“A separação entre a floresta e a indústria é, cada vez mais, reduzida. Temos vindo a assistir a uma relação contínua e plurianual, com a indústria a intensificar a  investigação e a inovação nas práticas florestais.”, afirma João Rui Ferreira, presidente da APCOR, num comunicado enviado às redações.

No âmbito do seu 60.º aniversário, celebrado em Dezembro, a APCOR realizou um encontro que contou com a presença do ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral. O Governante reforçou o bom exemplo que o setor da cortiça dá ao país e a forma como se soube associar com outros setores e valorizar os seus produtos, encontrando novas soluções, novos mercados e novas aplicações.

“Quem faz inovação na cortiça em 1º lugar e em todo o mundo são as empresas portuguesas”, reforçou o governante no jantar de encerramento do 60º Aniversário  da associação do setor.

Sobreiro: a árvore de todos os portugueses

Portugal tem a maior mancha de montado de sobreiro do mundo e 23% da área florestal em Portugal é representada por sobreiros. No final de 2011, o sobreiro foi considerado símbolo nacional, por unanimidade da Assembleia da República, tendo em conta a sua importância económica, social e ambiental.

“O sobreiro é a árvore de todos os portugueses e um forte símbolo do país, reconhecida pela inigualável importância na economia nacional. Neste sentido, é indiscutível que a nossa atenção com as questões florestais seja reforçada.”, sublinha o presidente da APCOR.

A APCOR é a única associação nacional que representa a indústria de transformação da cortiça. A associação possui mais de 270 associados, que representam 80 por cento da produção nacional e 85 por cento das exportações de cortiça e que cobrem todos os sub-setores da indústria – preparação, transformação e comercialização.

Para assinalar os seus 60 anos, a APCOR lançou a publicação “Cork. Comunicação da Cortiça no Mundo” que retrata a forma como a cortiça tem sido comunicada ao longo dos tempos, através de anúncios, da poesia, da arte, da música, da pintura.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório