Ambiente

Plátano classificado de Interesse Público

Um plátano que foi plantado em 1910 na aldeia de Rochoso, na Guarda, por ocasião dos festejos da República desse mesmo ano no dia 1 de dezembro, foi agora, cem anos depois, classificado de Interesse Público pela Autoridade Florestal Nacional.
Versão para impressão
Um plátano que foi plantado em 1910 na aldeia de Rochoso, na Guarda,
por ocasião dos festejos da República desse mesmo ano no dia 1 de
dezembro, foi agora, cem anos depois, classificado de Interesse Público
pela Autoridade Florestal Nacional.

Com uma altura total de 21 metros e uma copa com o diâmetro médio de 20,35 metros, o plátano centenário constituirá, a partir de agora, “mais um atrativo” para a aldeia, de acordo com a esperança demonstrada por Joaquim Vargas, presidente da Junta de Freguesia de Rochoso.

O autarca referiu que a árvore tem um porte “fora do vulgar”, tem um historial simbólico já que foi plantada no Dia da Árvore e foi nela hasteada a bandeira da República na altura da implantação. Mencionou ainda a sua importância pelo facto de fazer parte “da paisagem e da memória da população”.

“Entendemos que estes factos justificavam que a árvore fosse preservada e valorizada”, concluiu Joaquim Vargas ao JN.

A Junta de Freguesia pediu a classificação do plátano como Interesse Público em finais de 2009 altura em que se deslocaram ao local técnicos da Direcção-Geral das Florestas que fizeram uma análise do estado em que o exemplar se encontrava.

Segundo a legislação em vigor, o arranjo, incluindo o corte e a desrama da árvore da espécie Platanus x acerifolia, vulgarmente conhecida por plátano, “fica sujeito a autorização prévia da ANF”.

O exemplar de grande porte e longevidade, designado cientificamente como “platanus x acerifolia”, terá ainda direito à colocação de uma placa que mencionará a sua classificação.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório