Saúde

Penafiel: Primeiro banco municipal de medula óssea

Vai nascer em Portugal o primeiro Banco Municipal de Medula Óssea, um projeto do Centro de Histocompatibilidade do Norte (CNH) e do município de Penafiel.
Versão para impressão
A partir desta quarta-feira, Portugal terá o seu primeiro Banco Municipal de Medula Óssea. Trata-se de um projeto do Centro de Histocompatibilidade do Norte (CNH) em parceria com o Município de Penafiel e, segundo os seus mentores, “introduz uma nova forma de encontrar dadores na sociedade portuguesa”.
 
No seu site oficial, a autarquia de Penafiel explica que este banco terá a seu cargo a “realização planeada e concertada de recolha de diversas amostras de sangue e a inscrição de dadores de medula óssea, a efetuar ao longo dos anos, até se conseguir atingir a cobertura de uma taxa razoável da sua população”.
 
No entender dos responsáveis, o Banco Municipal de Medula Óssea terá um papel importante no aumento do número de dadores em virtude da descentralização, com criação de mais locais de inscrição, e das ações periódicas de recolha de amostras de sangue.
 
Além disso, o projeto visa reduzir as iniciativas esporádicas, algumas delas sem o controlo necessário por parte das entidades públicas de saúde – o que pode levar a casos de fraude – e ainda rentabilizar o trabalho das brigadas que efetuam as recolhas, dando-lhes informação precisa a respeito do número de dadores que as esperam em cada local.

Um banco virtual e sem custos acrescidos

 
A Câmara Municipal de Penafiel esclarece que este banco é virtual, uma vez que os dados e as amostras serão guardadas no CHN, e que o projeto não apresenta quaisquer custos acrescidos. “Pelo contrário, vai ajudar a reduzir custos nas saídas em serviço das brigadas de recolha de dadores”, salienta o município.
 
O projeto é apresentado amanhã (dia 15), com a realização de uma campanha de dadores de medula óssea que ocorre a partir das 9.30h nas ruas de Penafiel e com uma cerimónia pública no auditório do Museu Municipal onde, a partir das 11.00h, se farão ouvir testemunhos de quem viveu, na primeira pessoa, a luta para encontrar um dador.
 
De realçar que todas as pessoas saudáveis que tenham entre 18 e 45 anos podem tornar-se dadoras de medula óssea. Para isso, basta uma simples recolha de sangue idêntica à das análises clínicas que permitirá o estudo as características tecidulares e a inscrição na base do CEDACE (Centro Nacional de Dadores de Células de Medula Óssea, Estaminais ou de Sangue do Cordão).

Clique AQUI para ler o desdobrável com todas as informações sobre este novo banco municipal e sobre a dádiva de medula. 

[Notícia sugerida por Patrícia Guedes]

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório