Sociedade

País de Gales: Português lidera projeto social da NASA

A agência espacial norte-americana (NASA) elegeu Mirco Cordeiro para liderar um dos seus projetos sociais, que consistia na reunião de um grupo de jovens de diferentes minorias étnicas para desenvolver um a nova aplicação para telemóvel. O trabalho d
Versão para impressão
A agência espacial norte-americana (NASA) elegeu Mirco Cordeiro para liderar um dos seus projetos sociais, que consistia na reunião de um grupo de jovens de diferentes minorias étnicas para desenvolver um a nova aplicação para telemóvel. O trabalho do português resultou numa nomeação para os Prémios de Excelência da Juventude, entregues pelo Governo do País de Gales. 
 
Depois de se mudar, em 2005, para a região sul de Gales, para trabalhar com jovens de origem portuguesa, Mirco Cordeiro acabou por criar a sua própria empresa social para desenvolver tecnologia para ajudar organizações, onde recebeu o desafio que iria levá-lo até à NASA. O objetivo era “preparar jovens de minorias étnicas para o mercado de trabalho, desenvolvendo-lhes competências sociais e profissionais”. 
 
Como tal, durante semanas, escreveu a grandes organizações a pedir apoio, mas sem sucesso. No final de 2012, eis que um destes “tiros no escuro” acabou por dar frutos. “Antes de abrir o e-mail pensei que era mais uma daquelas respostas automáticas. Mas não, era mesmo um e-mail da Nancy Leon, coordenadora da NASA, a agradecer o contacto e a propor uma colaboração”, conta Mirco Cordeiro à Lusa. 
 
E, assim, a NASA não só aceitava a proposta do português como também se propunha a uma parceria com vista ao desenvolvimento de uma aplicação para telemóvel. Ao todo, dez jovens (cinco polacos, dois brasileiros, um nepalês, um ítalo-americano e um britânico de origem nigeriana) iam testar a aplicação Space Place Prime e identificar os respetivos erros e problemas.
 
Em troca, cada um dos participantes recebia um certificado emitido por aquela entidade governamental dos EUA, como reconhecimento do seu contributo. “Um dos jovens, o Rafael Gonçalves, estava tão orgulhoso que levou o certificado para uma entrevista de seleção para um colégio e mostro-o antes dos outros diplomas todos”, conta, sublinhando o impacto deste reconhecimento em termos de autoconfiança.
 
Segundo o especialista em Sociologia, a região do sul de Gales, onde trabalha, concentra bastantes carências sociais, tornando-a uma das regiões menos desenvolvidas na Europa. “Há muitos estereótipos negativos dos jovens por causa do problema de apatia social, mas esta iniciativa mostrou que, quando há boas oportunidades, eles aproveitam-nas com entusiasmo”, refere o também colaborador da Associação de Ciência Britânica e membro de uma rede nacional de promoção da Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática.
 
 O balanço positivo da ação não passou despercebido ao Governo daquele país, que fez questão de nomear o projeto do português para a categoria de 'Contributo Notável para Apoiar os Jovens na Educação, Emprego ou Formação” dos Prémios de Excelência para a Juventude. A cerimónia de entrega dos prémios, onde serão anunciados os vencedores, decorre na próxima quinta-feira. 

Notícia sugerida por Maria Pandina e Maria da Luz

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub