Inovação e Tecnologia

Ovar inaugura ponte com apenas 2 dedos de espessura

Tem apenas uma espessura de apenas dois dedos mas é altamente resistente à corrosão e elimina a vibração. A Ponte de São Silvestre, inaugurada no fim de Fevereiro, em Ovar, é um projeto da Universidade do Minho (UMinho), Instituto Superior Técnico (
Versão para impressão
É a ponte de betão auto-compactável mais fina do mundo. Apesar de ter apenas uma espessura de dois dedos é altamente resistente à corrosão e elimina a vibração. A Ponte de São Silvestre, inaugurada no fim de Fevereiro, em Ovar,  é um projeto da Universidade do Minho (UMinho), Instituto Superior Técnico (IST) e ALTO.

A ponte pedonal tem 11 metros de comprimento e 2 metros de largura possuindo uma laje de apenas 38 milímetros de espessura. Esta ponte, feita de betão-autocompactável reforçado com fibras, é considerada leve para uma estrutura deste tipo: pesa apenas três toneladas. Por ser mais leve, torna-se numa estrutura mais fácil de transportar e instalar.

A ponte está situada sobre o rio Cáster no Parque da Senhora da Graça e o nome veio da prova de atletismo com o mesmo nome. 

Elimina vibrações e resiste à corrosão

A ponte “combina materiais, perfeitamente compatíveis, sem incluir qualquer armadura convencional e com a particularidade de ter perfis pultrudidos em polímero reforçado com fibras de vidro”, explica Joaquim Barros, coordenador do projeto e professor catedrático do departamento de Engenharia Civil da UMinho.

A ponte de São Silvestre possui um caráter auto-compactável, o que elimina situações de vibração. As fibras e as propriedades de resistência neste betão contribuem para o peso e espessura reduzidos e aumentam a resistência à corrosão. 

Os autores do projeto acreditam, por isso, que não haverá lugar para trabalhos de manutenção, como ocorre noutras estruturas semelhantes. A não ser, como nota Joaquim Barros, “pormenores pontuais, como uma pintura”.

“Os tipos de materiais adoptados na estrutura podem ser aplicados noutros sistemas construtivos, com vantagens técnicas e económicas, principalmente em zonas de elevada agressividade ambiental, como a costa marítima”, conclui. 

A investigação esteve a cargo da ALTO, especializada no fabrico de materiais compósitos, enquanto que a construção do tabuleiro foi uma responsabilidade da CiviTest. Os ensaios estruturais foram feitos na Tecnipor. Contou com o apoio do QREN e da Agência de Inovação (AdI).

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório