Ambiente

ONU: 13 anos para salvar os oceanos

A ONU acaba de lançar, oficialmente, uma iniciativa internacional que visa proteger os oceanos e as pessoas que deles dependem. O objetivo é que todos os países e profissionais trabalhem juntos em prol da manutenção sustentável deste recurso.
Versão para impressão
A ONU acaba de lançar, oficialmente, uma iniciativa internacional que visa proteger os oceanos e as pessoas que deles dependem. O objetivo é que todos os países e profissionais trabalhem juntos em prol da manutenção sustentável deste recurso.
 
Fazer face às ameaças que os oceanos enfrentam atualmente é o primeiro passo para se proteger este “precioso recurso natural”, refere Ban Ki-moon, salientando que os oceanos hospedam alguns dos mais importantes e vulneráveis ecossistemas da Terra. No entanto, estes ecossistemas têm estado sobre constante perigo devido à poluição, à pesca excessiva e à subida do nível das águas.
 
Especialistas de várias áreas

A nova iniciativa, intitulada “Oceans Compact”, pretende encontrar soluções para estes problemas através do apoio e do reforço do direito marítimo. A ação terá por base uma plataforma presidida pelo Ocean Advisory Group, um grupo de especialistas de várias áreas, nomeadamente autoridades políticas, cientistas e oceanógrafos, além dos representantes da ONU.
 
Pretende-se que a plataforma ajude os diversos países a proteger os recursos naturais dos oceanos, restaurando a sua produção alimentar por completo, de modo a proporcionar às famílias aquilo que elas necessitam. Com esta plataforma, a ONU espera que as pessoas aprendam formas de proteger os oceanos.
 
2025: meta para alcançar objetivos

Foi estabelecido o ano de 2025 como meta para a redução do depósito de poluentes nas águas, sendo que até esse ano deverão estar protegidas pelo menos 10% das zonas costeiras e marítimas de todo o mundo. O “Oceans Compact” inclui, também, o reforço da luta contra a pesca ilegal, a reconstituição das reservas e o controlo do aquecimento global de modo a reduzir a subida do nível das águas.
 
O anúncio da nova iniciativa foi feito num evento que comemorava o 30º aniversário da assinatura da Convenção das Nações Unidas sobre o direito marítimo. A convenção foi assinada pela primeira vez em 1982 e é também conhecida como “Constituição dos Oceanos”, uma vez que abrange tudo aquilo que lhes diz respeito, desde delimitação de fronteiras a regulação ambiental, passando por investigação científica.

[Notícia sugerida por Raquel Baêta]

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub