Ambiente

Olhão: crias de falcões voltam à natureza

Vão poder abrir asas e voar, os três peneireiros, vulgo falcões, que caíram do ninho e o Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens (RIAS) da Ria Formosa ajudou a criar. Quem quiser poderá acompanhar o seu primeiro voo, amanhã, em Olhã
Versão para impressão
Vão poder abrir asas e voar, os três peneireiros, vulgo falcões, que caíram do ninho e o Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens (RIAS) da Ria Formosa ajudou a criar. Quem quiser poderá acompanhar o seu primeiro voo, amanhã, em Olhão [Algarve]. O Centro lançou também, recentemente, uma campanha de apadrinhamento de crias selvagens.

Este sábado, a partir das 10h3, três peneireiros-vulgares (Falco tinnunculus) vão ensaiar as suas asas, na Quinta de Marim, sede do Parque Natural da Ria Formosa (Olhão) para depois serem libertados.

Duas das aves foram encontradas no centro de Olhão, depois de terem caído do ninho, foram recolhidas e entregues no RIAS por particulares e vigilantes da Natureza. Já o terceiro peneireiro estava em cativeiro ilegal em casa de um particular e foi recolhido pelo próprio no RIAS.

O processo de recuperação destas aves envolveu a alimentação durante o tempo de crescimento da plumagem de voo, o contacto com outros peneireiros e treinos de voo e caça de presa viva. As três aves estiveram no centro até terem capacidade de sobreviver por si próprias.

Adopte uma cria selvagem

Na Primavera e no início do Verão há sempre um aumento muito acentuado de aves a necessitar de cuidados devido ao regresso das aves migratórias e à época de reprodução de inúmeras espécies, que fazem aumentar os acidentes com as crias e as quedas dos ninhos. Neste momento, o centro tem 76 crias em recuperação.

Por isso o centro lançou uma Campanha de Apadrinhamentos dirigida aos amantes da natureza. Por uma verba que varia entre os 15 e os 25 euros, de acordo com a espécie, o padrinho será informado dos passos do período de ´convalescença`, receber fotos do afilhado e assistir à devolução do animal após a recuperação.

As empresas também se podem associar, através de donativos ao abrigo da lei do mecenato que permite benefícios fiscais para este tipo de apoios.

Crias de mochos galegos, cegonhas brancas, andorinhão preto, ou corujas do mato ou uma águia de asa redonda, entre muitas outras, podem ser apadrinhadas aqui.

Comentários

comentários

Etiquetas

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório