Ambiente

Oeiras e Lisboa unem-se no tratamento do lixo

A Associação que trata os lixos de Cascais, Mafra, Oeiras e Sintra quer fundir-se com a Valorsul, empresa que gere os resíduos de 19 câmaras da Grande Lisboa. A ideia é reduzir o valor a pagar por cada tonelada para metade, refere a agência Lusa.
Versão para impressão
A Associação que trata os lixos de Cascais, Mafra, Oeiras e Sintra quer fundir-se com a Valorsul, empresa que gere os resíduos de 19 câmaras da Grande Lisboa. A ideia é reduzir o valor a pagar por cada tonelada para metade, refere a agência Lusa.

A informação foi avançada pelo presidente da autarquia de Oeiras, Isaltino Morais, na Assembleia Municipal dedicada ao tratamento de lixo no concelho: “Há dois anos que a Associação de Municípios de Cascais, Mafra, Oeiras e Sintra para o Tratamento de Resíduos Sólidos (AMTRES) está a preparar a criação de um sistema multimunicipal”.

“Não queimar o lixo está a custar-nos os olhos da cara. Não é justo que seja mais caro em Oeiras do que em Lisboa e isso reflete-se nos custos para os cidadãos”, disse, referindo que o concelho paga 44 euros por tonelada de resíduos sólidos urbanos depositados, enquanto os municípios da ValorSul pagam 22 euros.

“A ValorSul tem a vantagem que a queima reflete-se em eficiência energética e tem lucro, o que faz diminuir o preço por tonelada”, explicou Isaltino Morais, citado pela Lusa.

A proposta está, neste momento, a ser debatida com as partes envolvidas e “vai demorar a ser feita”, reconheceu o autarca.

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub