Ambiente

Oceanos: Portugal entre os melhores na redução do lixo

Portugal foi um dos 11 países europeus distinguidos pelas boas práticas de prevenção e redução do lixo marítimo, graças ao CoastWatch Portugal. Este é um projeto europeu que promove a valorização e preservação do ambiente litoral.
Versão para impressão
Portugal foi um dos 11 países europeus distinguidos pelas boas práticas de prevenção e redução do lixo marítimo, graças ao CoastWatch Portugal. Este é um projeto europeu desenvolvido desde 1989, que promove a cidadania ativa para a valorização e preservação do ambiente litoral.

No âmbito de uma iniciativa europeia do programa de gestão sustentável dos resíduos dos mares europeus Marlisco, “o caso português” de CoastWatch “foi distinguido como uma das melhores práticas”, disse Isabel Palma, da Faculdade de Ciência e Tecnologia (FCT) da Universidade Nova de Lisboa, em declarações à agência Lusa.

“Já com 23 campanhas realizadas” o projeto “tem uma grande adesão de voluntários e envolve pessoas no continente, Açores e Madeira, foi monitorizada uma grande percentagem da costa portuguesa e foi uma atividade bastante reconhecida”, acrescentou a investigadora, que integra o grupo de trabalho que acompanha o projeto no parceiro português.

Com esta distinção europeia, o projeto português, que já foi apresentado numa conferência em Berlim, integra o conjunto de 11 boas práticas que vão dar origem a um guia europeu sobre formas adequadas para prevenir e reduzir este problema ambiental.

O guia vai ser disponibilizado a vários grupos de todos os países, como professores, pescadores ou empresas ambientais, visando a prevenção do lixo marinho, que afeta cada vez mais locais e ecossistemas.

Um grupo de investigadores da FCT fez um levantamento das várias atividades que existem ao longo da costa portuguesa para prevenir ou reduzir o lixo no mar e encontrou 19 atividades, como a utilização de sacos descartáveis ou a lei que obriga à existência de instalações para receber resíduos dos navios que passam nos portos portugueses.

Isabel destacou ainda uma outra prática, pioneira, que passa pela utilização de ecopontos marítimos no porto de pescadores de Cascais, que recebe resíduos gerados nos barcos, durante a atividade de pesca, “como baterias, óleos ou velas, que são facilmente despejados no mar e que, além de serem lixo marinho, são resíduos tóxicos e perigosos”, salientou.

No total foram recolhidas 72 boas práticas, de países diretamente relacionados com os mares Báltico, Negro, Atlântico nordeste e Mediterrâneo, mas só 11 foram eleitas como os melhores exemplos da Europa.

O MARLISCO integra 15 países, é financiado pela Comissão Europeia e tem como objetivo promover a consciência social e a corresponsabilização no controlo e resolução do problema do lixo marinho.

O projeto decorre até 2015 e está organizado em diferentes áreas, como recolha de informação sobre a existência destes resíduos, a distribuição geográfica ou o tipo de lixo, em cada país.

No próximo Sábado comemora-se o Dia Mundial dos Oceanos, este ano subordinado ao tema “Juntos temos o Poder para Proteger os Oceanos”.

Nesse sentido vão decorrer várias atividades em vários pontos do país, como palestras e ações de sensibilização em todas as ilhas dos Açores, Cascais e Algarve, bem como ateliês para as crianças criarem brinquedos com plásticos reciclados no Sea Life, no Porto.

Conheça o projeto CoastWatch Portugal AQUI.

Notícia sugerida por Maria da Luz

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub