Saúde

Novos testes de ADN revelam idade biológica

Já há laboratórios, em vários países, que estão a comercializar um novo teste de ADN capaz de medir o tamanho dos telómeros, uma espécie de ?capa? dos cromossomas que vai diminuindo à medida que vamos envelhecendo e que indica a probabilidade de sofr
Versão para impressão
Já há laboratórios, em vários países, que estão a comercializar um novo teste de ADN capaz de medir o tamanho dos telómeros, uma espécie de ‘capa’ dos cromossomas que vai diminuindo à medida que vamos envelhecendo e que indica a probabilidade de sofrer de várias doenças.
 
Está provado, através de vários estudos, que as pessoas com tendência para determinadas doenças (como cancros, doença de Alzheimer e problemas cardiovasculares) têm telómeros muito curtos. Por este motivo, alguns investigadores estão agora à procura de um método para aumentar o tamanho dos telómeros e prolongar a longevidade do ser humano.
 
Ate há pouco tempo, estes testes genéticos eram complexos e dispendiosos mas agora alguns laboratórios conseguiram criar testes relativamente baratos (a partir dos 500 euros) e fáceis de aplicar que prometem indicar a idade biológica da pessoa testada, ou seja, a condição física em que se encontra e que pode não corresponder à sua idade real.

Indicador de estilo de vida
 

A bióloga molecular Maria Blasco, cofundadora do laboratório Life Length, em Espanha, um dos primeiros a comercializar estes testes, disse, ao jornal New York Times, que o teste não indica propriamente “quantos anos a pessoa vai viver”.

“Mesmo que uma pessoa de 50 anos tenha os telómeros do tamanho de alguém de 70 anos, isso não quer dizer que todo o seu corpo esteja assim tão envelhecido”, diz a especialista. “O que achamos”, acrescenta, “é que pode ser útil para pessoas que queiram saber se estão a seguir um estilo de vida suficientemente saudável”.
 

Com a função de proteger e separar os cromossomas, os telómeros são semelhantes à capa plástica dos atacadores dos sapatos, que impedem que o fio se estrague e perca sua função. Em cada célula humana existem 23 pares de cromossomas e, portanto, 92 telómeros (um em cada extremidade de 46 cromossomas no total).
 
“Cada vez que uma célula se divide, o telómero fica um pouco mais curto”, explica o biólogo molecular brasileiro Nelson Gaburo, do laboratório Alta Excelência Diagnóstica, num comunicado enviado ao Boas Notícias. Este laboratório brasileiro, sediado em São Paulo, também já oferece este teste de ADN.

É possível atrasar diminuição dos telómeros

 
Segundo o especialista, o encurtamento faz parte do ciclo natural da vida e está relacionado aos hábitos adotados durante os anos. “Porém, os telómeros curtos podem ser responsáveis por algumas doenças, como a divisão descontrolada das células (cancro). Por isso é importante medi-los e mantê-los dentro dos níveis considerados normais”, afirma o médico.
 
Um estudo recente da universidade da Califórnia (EUA) revelou que uma dieta equilibrada, exercício físico, ferramentas de gestão do stress e uma boa rede social são os quatro ingredientes essenciais para preservar o tamanho dos telómeros, atrasar o envelhecimento das células e tornar o organismo mais resistente a doenças.
 
O teste para medir os telómeros é feito através de uma colheita simples de sangue, que analisa os glóbulos brancos nucleados, ou seja, os linfócitos T. No Brasil e Espanha o teste tem de ser requisitado por médicos, contudo, alguns laboratórios dos EUA afirmam que fazem o teste a pedido dos indivíduos. Em Portugal, ainda não há laboratórios que realizem o teste de ADN aos telómeros.

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub