Saúde

Novo site ajuda a identificar origem da dor nas costas

Foi lançada este mês a campanha Não Vire Costas À Dor de Costas. A iniciativa pretende incentivar as pessoas que sentem dor nas costas a visitarem o website www.naovirecostas.pt para identificarem as possíveis causas.
Versão para impressão
Foi lançada este mês a campanha Não Vire Costas À Dor de Costas. A iniciativa pretende incentivar as pessoas que sentem dor crónica nas costas a visitarem o website www.naovirecostas.pt para identificarem as possíveis causas.

O website www.naovirecostas.pt fornece informações básicas sobre os diferentes tipos e causas de dor nas costas. As pessoas que sentem dor nas costas durante um período superior a três meses são incentivadas a responder a um breve questionário online, ler mais sobre as possíveis causas, e encorajadas a consultar o seu médico.

Em comunicado enviado ao Boas Notícias, os responsáveis da campanha explicam que na maioria dos casos, a dor lombar crónica é mecânica, isto é, causada por um esforço maior ou uma lesão. Mas em cerca de 3% dos adultos, a dor lombar crónica é causada por inflamação, tendo que ser gerida de forma diferente.

Existem várias causas para a dor inflamatória da coluna e, em alguns casos, pode levar até 10 anos para ser corretamente diagnosticada. Este atraso no diagnóstico constitui uma preocupação porque, ao longo do tempo, as causas de dor inflamatória da coluna podem provocar restrições nos movimentos e, em casos mais graves, provocar a fusão dos ossos da coluna vertebral.

Fernando Pimentel, reumatologista, afirma no comunicado que “os sintomas da dor inflamatória da coluna passam por dores que persistem durante pelo menos três meses, que se agravam com o repouso e melhoram com o exercício, estão associadas a rigidez matinal e aliviam com medicamentos anti-inflamatórios”.

O reumatologista sublinha que “estas queixas constituem um importante problema de saúde pública, precisamente porque afetam uma parte significativa da população em idade cativa, conduzindo ao absentismo laboral, à quebra de produtividade e muitas vezes a uma retirada prematura do mercado de trabalho. Podem também ser responsáveis por uma mudança do estilo de vida do indivíduo, comprometendo a prática de atividade física e de atividades da vida diária (vestir, calçar, tomar banho)”.

Comentários

comentários

Etiquetas

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório