Fitness & Bem-estar

Novo portal dinamiza oferta turística do Ribatejo

Dinamizar o turismo da região e atrair mais visitantes são os principais objetivos do novo portal "Viver o Tejo" que foi apresentado, esta sexta-feira, pela Associação Empresarial da Região de Santarém (Nersant).
Versão para impressão
Dinamizar o turismo da região e atrair mais visitantes são os principais objetivos do novo portal ‘Viver o Tejo’ que foi apresentado, esta sexta-feira, pela Associação Empresarial da Região de Santarém (Nersant). 

“A informação turística estava muito dispersa e o objetivo foi congregar num mesmo local todas as ofertas para que o visitante, ou mesmo a população da zona, tenha informação sobre aquilo que a região oferece”, explicou António Campos, da comissão executiva da Nersant, num comunicado à agência Lusa.
 
A oferta é vasta e variada. Os visitantes podem escolher um hotel ou um parque de campismo, um restaurante de comida tradicional ou gourmet. A oferta alarga-se ainda a atividades desportivas, como a canoagem ou paraquedismo, e a visitas culturais. 
 
Por outro lado, o portal congrega pacotes temáticos – como  Ribatejo Ativo, Ribatejo Natural, Ribatejo Tranquilo, Ribatejo Histórico, Ribatejo Jovem e Ribatejo Jovem – que oferecem até cinco dias de atividades selecionadas consoante os interesses de cada um.
 
“São sugestões de roteiros que as pessoas podem escolher de acordo com as suas preferências, mas que não são limitadoras, já que o utilizador poderá também, em alternativa, criar a sua própria rota e fazer as reservas que considerar mais adequadas”, conta António Campos, citado pela Lusa. 
 
Numa fase inicial, o projeto abrange os concelhos de Vila Nova da Barquinha, Constância, Abrantes e Mação. No entanto, António Campos afirma que a Nersant (líder do agrupamento) pretende agora “avaliar os resultados em termos de aumento de visitantes” aos concelhos envolvidos, para que, até ao final do ano, se possa “alargar a informação a outros concelhos do Ribatejo”.
 
De acordo com a agência Lusa, o projeto ‘Viver o Tejo” foi cofinanciado em 70% pelo Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos (PROVER).

A iniciativa conta já com a participação de 49 entidades públicas e privadas, desde municípios, organizações sem fins lucrativos, empresas e outras instituições.
 

Clique AQUI para visitar o site oficial do projeto.
 

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub