Mundo

Nova Iorque: Língua Portuguesa no ensino oficial

A língua portuguesa está a ganhar força na cidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos. A prova disso é que a escola secundária de Mineola, em Long Island, vai passar a oferecer o ensino de português como língua estrangeira opcional.
Versão para impressão
A língua portuguesa está a ganhar força na cidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos. A prova disso é que a escola secundária de Mineola, em Long Island, vai passar a oferecer o ensino de português como língua estrangeira opcional.

A partir de Setembro deste ano, os alunos da escola de Mineola que quiserem aprender português terão oportunidade de o fazer através da nova disciplina de língua estrangeira opcional.

De acordo com a Agência Lusa, o anúncio foi feito na passada quarta-feira numa conferência de imprensa com o senador estadual lusodescendente Jack Martins, o vereador da cidade Paulo Pereira, o diretor da escola Ed Escobar e a professora Elsa Coelho.

Aquela escola integra, atualmente, cerca de mil alunos, 20% dos quais de origem portuguesa ou brasileira. Os estudantes do 8º ano poderão, neste ano letivo, optar entre espanhol, francês, italiano, latim e português no que refere à disciplina de língua estrangeira.

Esta é “a concretização de um sonho com 20 anos”, referiu Paulo Pereira, que sempre defendeu a inclusão desta língua numa escola onde um em cada seis alunos é de origem lusófona.

Aulas públicas de português existiam apenas na Universidade

Jack Martins, que já tinha ocupado o cargo de presidente da câmara de Mineola, explicou que o primeiro passo para se tornar o português em língua estrangeira opcional foi obter, do Departamento de Educação Estadual, uma licença de exceção para que a língua portuguesa figurasse no currículo de uma escola pública.

Aproveitando o facto da escola já ter uma professora lusodescendente, bastou, depois da licença obtida, “juntar o interesse da comunidade local e da escola”, referiu.

Por enquanto, as aulas são apenas para alunos do 8º ano, mas o diretor da escola secundária, Ed Escobar, refere que o objetivo é fazer crescer a oferta progressivamente até ao 12º ano. Até agora, no estado de Nova Iorque, os cursos públicos de português existiam apenas a nível universitário, estando a cargo de instituições privadas no ensino básico e secundário.

Jack Martins frisou que esta iniciativa é uma mais-valia não só para a comunidade portuguesa local, “mas sobretudo para a imagem da língua portuguesa” nos Estados Unidos.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub