Fechar



Registe-se na nossa newsletter







Sexta-feira, 17 de Agosto de 2012

Yoga pode tratar dores de costas crónicas

Yoga pode tratar dores de costas crónicas
As dores de costas crónicas que habitualmente necessitam de um tratamento de 12 dias, podem ser aliviadas através da prática de yoga num espaço de quatro dias, refere um estudo levado a cabo pela University of York (UY), no Reino Unido.

Em comunicado, a UY revela que a investigação consistiu na avaliação dos efeitos de um programa especial de intervenção de yoga com pacientes de dor crónica de costas. 

Ao longo de 12 semanas, os investigadores dividiram 313 pessoas em dois grupos: um deles foi integrado no programa de yoga, intitulado “Yoga for Healthy Lower Backs”, e o outro continuou com o tratamento autónomo convencional, “General Practitioner” (GP).

O GP baseia-se em sessões de fisioterapia e prescrição de comprimidos capazes de aliviar as dores. O conjunto de pessoas do programa de yoga passou por aulas com 12 professores diferentes, durante as 12 semanas da ação.





FERRAMENTAS
Imprimir
RELACIONADO
SAúDE
COMENTÁRIOS
comments powered by Disqus
Termos de serviço
MULTIMÉDIA
  • Março Mês do Teatro anima palcos de norte a sul
  • EUA: Obama volta a elogiar empresárias portuguesas
  • Bombeiro português faz pedido de casamento original
  • Filme sobre o Minho chega a Bilbau e Nova Iorque
  • Espetáculo de dança português faz furor na Roménia
  • Jovem cria lanterna que acende com calor das mãos
  • Mulher de 64 anos nada de Cuba até à Florida
  • Humanos comunicam por
  • Máquina carrega bilhetes de metro com garrafas
  • Arquitetura: Jovem transforma autocarro numa casa
  • Italianos formam cadeia humana para ajudar 164 sírios
  • Bailarina portuguesa vence prémio na Áustria
  • Sistema original ajuda a estacionar com balões
  • Portugueses levam luz a 8 mil pessoas na Guiné-Bissau
  • Máquina doméstica transforma plástico em petróleo
DESTAQUES
Image and video hosting by TinyPic

PÁGINAS AZUIS
Todos os direitos reservados 2011 - The Agency.pt
O BoasNoticias.pt demorou 0.383 segundos a carregar