Fechar



Registe-se na nossa newsletter







UAçores realiza estudo inédito de raias gigantes

Segunda-feira, 30 de Abril de 2012
UAçores realiza estudo inédito de raias gigantes
© Lusa
A Universidade dos Açores está a realizar um estudo inédito junto de um grupo de jamantas (uma espécie de raia gigante) da região. O arquipélago é um dos poucos locais do mundo que permite aos turistas verem agregações destes animais marinhos.

Os cientistas do Departamento de Oceanografia e Pescas (DOP) da Universidade dos Açores marcaram cinco jamantas junto ao banco submarino 'Princesa Alice', a 80 quilómetros a sul/sudoeste do Faial.

"É a primeira vez que se está a fazer este trabalho", afirmou Jorge Fontes, um dos responsáveis pelo estudo, em declarações à Lusa, acrescentando que se estão a usar pela primeira vez aparelhos de telemetria por satélite colocados no dorso destes animais.

As jamantas “permanecem algum tempo nos Açores”, especialmente durante o verão, e partem depois para sul, em busca de águas mais quentes.





FERRAMENTAS
Imprimir
RELACIONADO
AMBIENTE
COMENTÁRIOS
comments powered by Disqus
Termos de serviço
MULTIMÉDIA
  • Bombeiros 'heróis' de Rio Maior salvam cão
  • Férias com animais tornam-se tendência na Europa
  • Vídeo: Reconheceria a sua mãe de olhos fechados?
  • Porto: Crianças do IPO brilham em videoclip musical
  • Todas as florestas tropicais cabem no Oceanário
  • Técnico cria robô que brinca com crianças do IPO
  • Americano cria sandálias que crescem 5 tamanhos
  • Automóveis: Marca alemã filma vídeo promocional no Porto
  • Vídeo: Recriação do terramoto de 1755 torna-se viral
  • Zeca: Um robô português que ajuda crianças autistas
  • Vídeo: Eclipse mais curto do século deixa Lua vermelha
  • EUA: Cão amputado recebe próteses e volta a andar
  • Novo extintor apaga fogos com ondas sonoras
  • Vídeo: Surda ensina língua gestual aos seus gatos
  • Inglaterra: Fadista português candidato a
DESTAQUES
Image and video hosting by TinyPic

PÁGINAS AZUIS
The Agency.pt ®. Todos os direitos reservados 2011 - 2015.
O BoasNoticias.pt demorou 0.461 segundos a carregar