Fitness & Bem-estar

neoFOFO: A calçada portuguesa como nunca a viu

A calçada portuguesa ganhou uma nova cor. Aqui e ali, os passeios onde antigamente faltavam algumas pedras estão a ser preenchidos com cubos 'vestidos' de malhas coloridas.
Versão para impressão
A calçada portuguesa ganhou uma nova cor. Aqui e ali, os passeios onde antigamente faltavam algumas pedras estão a ser preenchidos com cubos ‘vestidos’ de malhas coloridas. O projeto neoFOFO só começou há dois meses mas já está a caminho de se tornar viral.

por Patrícia Maia
 
Tiago Custódio e Patrícia Simões são cidadãos comuns: trabalham, pagam os seus impostos, fazem pela vida. Mas além da rotina do dia-a-dia, esta dupla tem também uma missão (cada vez menos) secreta que está a surpreender os peões que circulam pela calçada portuguesa.
 
Em Lisboa e em Almancil (a terra natal de Tiago Custódio), a dupla neoFOFA anda a preencher os buracos das calçadas com cubos cobertos de malha colorida. Patrícia Simões conta ao Boas Notícias que a ideia surgiu quando, no bairro onde vive, em Benfica (Lisboa) pintaram de cinzento uma enorme parede que estava cheia de ‘tags’ e graffitis coloridos.
 


Cubos coloridos e virais
 
“Numa tentativa de recuperar a cor lembrei-me de tricotar corações para colar na parede. Acabámos por desistir da parede e andar pela cidade a experimentar os melhores sítios para pôr os corações. Foi quando, em Monsanto, encontrámos uma falha no chão que tinha a forma de coração e percebemos que a ideia tinha de passar para a calçada”, conta a jovem de 29 anos, formada em arquitetura e urbanismo, ao Boas Notícias. 
 
A missão de “tricotar cubinhos” começou apenas há cerca de dois meses mas todos os dias o trabalho desta dupla criativa conquista novos fãs entre os transeuntes, o Instagram (a hashtag #neofofo tem cada vez mais fotografias e seguidores) e o Facebook.

O entusiasmo do público tem sido de tal forma, que Patrícia e Tiago até já criaram um mapa de Portugal interativo onde é possível localizar os 26 pontos que, até ao momento, a neoFOFO já intervencionou.
 

“Iremos atualizar o mapa de cada vez que é feita uma intervenção e, em breve, queremos associar a cada ponto uma imagem das peças e uma atualização do estado, para que se saiba se ainda existe ou se já desapareceu”, conta Patrícia Simões. 

“A nossa calçada está tão linda, não está?”
 

Os neoFOFOS (na foto ao lado) andam constantemente munidos com o seu kit de intervenção urbana (composto por cubos já revestidos, pregos e um martelo) para poderem preencher com cor qualquer buraco que lhes apareça à frente. Os cubos medem cerca de 5 cm por 5 cm e são feitos a partir de restos de madeira que foram cedidos por uma carpintaria. A roupinha de malha é tricotada por Patrícia. 

As intervenções neoFOFAS são feitas durante o tempo livre da dupla já que Patrícia é formada em arquitetura mas lançou o seu próprio negócio, o doSEMENTE, de venda de granola (mistura de cereais e frutos secos com mel). Tiago Custódio, de 30 anos, é formado em artes visuais e trabalha numa editora de livros. 
 
Além da questão estética e artística, uma das grandes motivações de Patrícia e Tiago, neste projeto, tem sido a reação das pessoas: “As pessoas passam, olham, voltam atrás, agarram e tiram o quadrado, depois voltam a colocar. É uma intervenção que causa muitas reações”. 
 
“No outro dia, quando ia fotografar um dos locais de intervenção aqui perto de minha casa, apareceu uma velhinha toda contente a dizer-me ‘já viu o que andaram a fazer na nossa calçada, está tão linda não está?’… Fiquei orgulhosa”, confessa Patrícia.
 

Calçada fofa no resto do país
 

Muitas das pessoas que se cruzam com esta brigada urbana em ação mostram-se preocupadas com o destino das peças. “Avisam-nos, com tristeza, que as peças mais cedo ou mais tarde vão ser roubadas”, diz Patrícia. Mas a dupla não se preocupa muito com isso: “Ficamos um pouco tristes mas sabemos que esta é uma intervenção que, como toda a arte urbana, tem um carácter efémero”.
 
A arte dos neoFOFOS está a tornar-se de tal maneira viral que até já começaram a ser contactados por lojas, hotéis e outras entidades a avisar que têm passeios com falhas nas suas ruas que podem ser preenchidos com calçada fofa. “Além de atrair turistas, a nossa ação também alerta para alguns pontos das calçadas que estão em mau estado”, explica a neoFOFA.
 
Os mentores do projeto neoFOFO confessam que têm outras ideias de intervenção urbana na manga mas, por enquanto, a prioridade é espalhar calçada colorida por várias zonas do país sendo que Silves, a cidade onde nasceu Patrícia, será o próximo alvo desta original milícia.

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub