Saúde

Nano partículas reduzem danos da radioterapia

Investigadores norte-americanos testaram, com sucesso, uma nova técnica para proteger a medula óssea dos danos causados pela radioterapia através do uso de nano partículas de melanina, um pigmento natural da pele que determina a cor de cabelo e pele.
Versão para impressão
[Imagem: Science Daily]

Investigadores norte-americanos testaram, com sucesso, uma nova técnica para proteger a medula óssea dos danos causados pela radioterapia através do uso de nano partículas de melanina, um pigmento natural da pele que determina a cor de cabelo e pele.

A radioterapia é usada como tratamento contra as células cancerígenas. Contudo, é prejudicial para as células normais. Agora, graças à pesquisa levada a cabo por cientistas do Albert Einstein College of Medicine, as nano partículas de melanina vão poder ser usadas para administrar doses mais altas de radiação nas células cancerígenas sem prejudicar as saudáveis.

O procedimento foi testado com resultados favoráveis pela investigadora Ekaterina Dadachova e restante equipa de investigação em ratos que responderam bem a esta nova técnica. Foram testados diferentes níveis de partículas de melanina e radiação.

Os cientistas descobriram que os ratos que receberam a melanina antes da radiação tiveram menos danos na medula óssea. Mais animador ainda foi verificar que os ratos injetados com as nano partículas recuperaram mais rapidamente glóbulos brancos e plaquetas que os animais que não receberam.

O procedimento, segundo o ScienceDaily, não tem efeitos secundários observados e deverá começar a ser testado em pacientes com cancro daqui a dois ou três anos. Dadachova acredita que esta nova técnica tem potencial para ser aplicada também na proteção de astronautas na exposição à radiação.  

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório