Cultura

Museu Berardo faz balanço positivo de 3 anos

O Museu Colecção Berardo celebra hoje, a 25 de junho, o terceiro aniversário e contabiliza um total de dois milhões de visitantes num total de 37 exposições. O aniversário não vai ser celebrado com a tradicional festa ao público, por causa da crise,
Versão para impressão
O Museu Colecção Berardo celebra hoje, a 25 de junho, o terceiro aniversário e contabiliza um total de dois milhões de visitantes num total de 37 exposições. O aniversário não vai ser celebrado com a tradicional festa ao público, por causa da crise, mas promete prosseguir com o objetivo de dar a conhecer a coleção ao público.

“A nossa missão era dar a conhecer a coleção Berardo e torná-la o mais possível acessível ao público, e é isso que está a acontecer”, apontou o diretor-geral do Museu, Rui Silvestre em declarações à Lusa. “Já é possível constatar que o Museu Berardo se tornou um espaço cultural de referência a nível nacional e internacional”.   

No último ano as entradas subiram para as 873 mil contra as 632 mil visitas no ano anterior. A exposição com mais visitantes foi “Sem Rede”, de Joana Vasconcelos, que decorreu este ano com mais de 170 mil visitantes, tendo sido uma das mais visitadas no país.

Joe Berardo congratula-se com o sucesso do museu e faz questão de relembrar que “a cultura é uma boa área de investimento” e lamenta que os políticos não invistam mais nesse sentido.

Defendeu ainda que num período de crise internacional seria favorável um maior investimento na área da cultura “para melhorar o país e criar postos de trabalho, tal como fazem os italianos, os franceses, espanhóis e ingleses, para atrair o turismo”.  

Sobre a manutenção das entradas gratuitas, uma filosofia que tem orientado o museu desde o início, o colecionador e empresário garantiu que vai fazer “o possível” para manter a acessibilidade gratuita, sobretudo para “escolas e famílias”.

“Até ao fim do ano e no próximo ano devem manter-se gratuitas. Um dia talvez teremos que rever a situação. Vai depender do futuro financeiro português”, admitiu.

No acervo do museu estão reunidas obras de artistas como Joana Vasconcelos, Marcel Duchamp, Joan Miró, Jose de Guimarães, Paula Rego, Marc Chagall, Mário Cesariny, Amadeo de Souza Cardoso, Pedro Cabrita Reis, Man Ray, Andy Warhol, Salvador Dalí, entre outros.

O museu contava com um acervo inicial de 862 obras do comendador madeirense cedido em regime de comodato até 2016. Este ano foram adquiridas mais 210 obras em nome da fundação que gere o museu e que possui representantes do Estado e do comendador Berardo.

Comentários

comentários

Etiquetas

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório